terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

PROGRAMA 'POLIFONIA DAS RUAS' - ENTREVISTOU O FOTÓGRAFO E ESCRITOR PEDRO VASQUEZ



ASSISTA AO VÍDEO COM A ENTREVISTA
DO FOTÓGRAFO PEDRO VASQUEZ

BASTA CLICAR AQUI



ENTREVISTADO PEDRO VASQUEZ
 
Publicado em 15/10/2012
 
Programa 'Polifonia das Ruas' - 'Niterói Antiga'
(Entrevista com o fotógrafo e curador Pedro Vasquez),
em janeiro de 2008, transmitido pela Unitevê
(canal universitário de Niterói)
 
 
 
Pedro Vasquez - fotógrafo, escritor
 
 
Pedro Afonso Vasquez Escritor, tradutor, fotógrafo, curador e administrador cultural nascido na cidade do Rio de Janeiro em 1954. Formado em Cinema pela Université de la Sorbonne, Paris, em 1978, tornou-se mestre em Ciência da Arte pela Universidade Federal Fluminense, Niterói, em 2000. Ex-diretor do Solar do Jambeiro, museu-casa pertencente à Secretaria de Cultura de Niterói.
Na década de 1980 exerceu papel determinante no campo das atividades culturais relacionadas com fotografia, tendo sido responsável pela criação do Instituto Nacional da Fotografia (INFoto) da Funarte (Fundação Nacional de Artes); assim como do Departamento de Fotografia, Vídeo & Novas Tecnologias do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
Como diretor do INFoto definiu a política federal para o setor, tal como expressa no documento Proposta para uma Política Nacional da Fotografia, implantando o Programa Nacional de Preservação e Pesquisa da Fotografia, do qual decorreu o Centro de Preservação e Pesquisa da Fotografia, o primeiro do gênero na América Latina.
Promoveu ainda as Semanas Nacionais da Fotografia, que desempenharam papel fundamental na difusão da fotografia por todo território nacional e na criação de uma rede de relações institucionais e pessoais. Ao passo que no MAM, realizou exposições sobre fotografia brasileira em dois importantes eventos internacionais, o Mois de la Photo à Paris, e o International Month of Photography, em Houston (EUA), e deu início a uma coleção de fotografia brasileira (dos primórdios aos dias de hoje) que conta hoje com mais de 4 mil peças.
É autor de 23 livros de temática variada, que incluem ficção e não-ficção e abordam temas como arte, cinema, poesia, cartofilia, ferrovia, manifestações populares, bem como obras destinadas ao público infantil. Mas sua contribuição foi mais determinante no campo da fotografia, desde que lançou luz sobre o pioneirismodo imperador Pedro II em: Dom Pedro II e a Fotografia no Brasil (Editora Index, 1985). Ressaltou também a importância de nosso confrade Gilberto Ferrez no campo das pesquisas iconográficas brasileiras em: Mestres da Fotografia no Brasil. Coleção Gilberto Ferrez (Centro Cultural Banco do Brasil, 1995).
Assim como destacou a contribuição germânica para a fotografia brasileira em três obras: Álbum da Estrada União e Indústria (Quadratim, 1997); Fotógrafos Alemães no Brasil do Século XIX (Metalivros, 2000); Revert Henrique Klumb: um alemão na Corte Imperial brasileira (Capivara, 2001). Focalizou a integração nacional por intermédio da implantação da malha ferroviária nos dois primeiros volumes da trilogia que pretende dedicar ao tema: Nos trilhos do progresso: a ferrovia no Brasil imperial vista pela fotografia (Metalivros, 2007); Fotografia e Ferrovia no Brasil da Primeira República (Metalivros, 2008). Objetivando a sensibilização do público infantil para os temas de interesse histórico, publicou A princesa Isabel, o gato e a fotografia (Pinakotheke, 2010), com retratos da família imperial pertencentes às coleções do Museu Imperial e do Arquivo Grão Pará.
Foi curador de mostras recordistas de público sobre a cultura brasileira, tais como: Traduzindo o Brasil, produzida [em parceria com Júlia Peregrino] para a Biblioteca Nacional na XV Bienal do Livro Rio (2011); El Universo del Cordel, realizada [em parceira com Franklin Espath Pedroso] no Espacio Cultural Embajada del Brasil, em Buenos Aires (2009); Família Ferrez: novas revelações, produzida [em parceria com Júlia Peregrino] no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (2008); e Gilberto Freyre: intérprete do Brasil, realizada [juntamente com Elide Rugai e Júlia Peregrino] no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo (2007).
Como fotógrafo, realizou dezenas de exposições individuais e participou de numerosas coletivas, tendo exposto ou publicado suas fotografias nos seguintes países, além do Brasil: Alemanha, Argentina, Canadá, Cuba, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, México, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela.
 
 
 

Nenhum comentário: