sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

COBERTURA FOTOGRÁFICA E JORNALÍSTICA DO LANÇAMENTO DO LIVRO FAGUNDES VARELA A POÉTICA ROMÂNTICA DE UMA ALMA INQUIETA ORGANIZAÇÃO RENATO AUGUSTO FARIAS DE CARVALHO


ASSISTA AO VÍDEO COM AS IMAGENS DO EVENTO

CLICAR NA IMAGEM DO RENATO AUGUSTO



OU ASSISTA NO CANAL YOU TUBE DO FOCUS PORTAL CULTURAL

 
 
 
Aconteceu dia 19 de fevereiro, às 18 horas na Sala de Cultura Leila Diniz. O lançamento do 6ª volume da coleção de 12  -  Introdução aos Clássicos Fluminenses – Fagundes Varela – A poética romântica de uma alma inquieta – Organização e Apresentação do escritor e acadêmico Renato Augusto Farias de Carvalho.
 
Esta coleção é uma idealização da Editora Nitpress, que juntamente com os maiores intelectuais fluminenses, assinam a valiosa coletânea.
 
Este exemplar  publicado hoje dia, equivale o 6º volume da seleta e foi escrita em homenagem ao grande escritor e poeta Fagundes Varela.
 
O Publisher Luiz Augusto Erthal falou em entrevista ao Focus, que pretende concluir a coleção, ainda este ano (assista ao vídeo acima, para saber mais informações).
 
Confira também as imagens que o Focus Portal Cultural esteve presente e trouxe exclusivamente para você.
 
 
 
 
Fagundes Varela - foi um poeta brasileiro. Fez parte da segunda geração de poetas românticos do Brasil. Sua poesia além de apresentar temas sociais e políticos, desenvolveu também temas sobre a natureza e temas que falam de angústia, solidão, melancolia e desengano. É patrono da cadeira nº 11 da Academia Brasileira de Letras.
 
 
 

 
Fagundes Varela -  nasceu na Fazenda Santa Rita, então cidade Santa Clara, província do Rio de Janeiro, no dia 17 de agosto de 1841. 
 
Era filho do Magistrado Emiliano Fagundes Varela e Emília de Andrade. Em 1860 iniciou sua vida em São Paulo, onde ingressou na Faculdade de Direito no Largo São Francisco. Nesse mesmo ano publica seus primeiros trabalhos literários. Participa da vida boêmia da cidade. Em 1861 publica o livro de poesias "Noturnas".
 
Fagundes Varela apaixona-se por Alice Guilhermina Luande, filha do proprietário de um circo que estava instalado em São Paulo. Segue-a até Sorocaba e lá se casa no dia 28 de maio de 1862. Em 1863 nasce seu filho Emiliano, que morre com apenas três meses de vida. A morte do filho lhe inspira seu mais famoso poema "Cântico do Calvário".
 
Em 1865 muda-se para Recife, onde presencia a onda de nacionalismo ali desencadeada. Ingressa na Faculdade de Direito. No mesmo ano, com a morte da esposa, volta para São Paulo. Em 1866 retorna para a Faculdade mas pouco frequenta as aulas. Nessa ocasião, Fagundes renuncia aos estudos definitivamente e volta para a sua casa paterna.
 
Em 1869 casa-se com a prima Maria Belisária Lambert. Da união nasceram duas filhas, Lélia e Rute. Seu terceiro filho também chamado Emiliano, não sobrevive. Fagundes leva uma vida boemia, era visto muitas vezes embriagado.
 
Suas obras: "Noturnos" (1861), "Cântico do Calvário (1863), O Estandarte Auriverde (1863), Vozes da América (1864), Cantos e Fantasias (1865), Cantos Meridionais (1869), Cantos do Ermo e da Cidade (1869), Anchieta ou Evangelho na Selva (1875), Cantos religiosos (1878), Diário de Lázaro (1880).
 
Luís Nicolau Fagundes Varela morre na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, no dia 18 de fevereiro de 1875.
 
 
 
ORGANIZAÇÃO E APRESENTAÇÃO
 
 
 

 
RENATO AUGUSTO FARIAS DE CARVALHO - ESCRITOR
 
 

Renato Augusto Farias de Carvalho nasceu em Manaus/AM no dia 30 de junho de 1935. Em sua terra natal, estudou no Colégio Salesiano Dom Bosco. Na cidade do Rio de Janeiro/RJ, para onde se mudou em janeiro de 1952, continuou seus estudos no Colégio Andrews, tendo participado do Grêmio Acadêmico, que ajudou a fundar. No início de 1978, passou a residir em Niterói/RJ.

Graduou-se em Letras (Língua e Literatura – Português/Francês) na então Faculdade de Humanidades Pedro II (FAHUPE). Pós-graduou-se em Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas. Exerceu diversas funções e cargos na Previdência Social (Direção Geral – RJ), aposentando-se em 1989.

Ocupante da cadeira nº 6 da Academia Niteroiense de Letras, também é membro do Cenáculo Fluminense de História e Letras e da Associação Niteroiense de Escritores. Publicou os seguintes livros: Porto de Ocasos (ficção/memórias. 1998. Editora Cromos), Poesia-do-que-eu-quis (poemas. 2002. Editora Cromos) e Vinho e Verso (poemas. 2005. Ed. Valer). Eu ainda não disse tudo. (poemas - Editora Valer - ...Haja, ainda, partículas de sol (poemas - 2013 – editora Nitpress).  

Entre as diversas medalhas já recebidas, destacam-se a José Cândido de Carvalho (conferida pela Câmara Municipal de Niterói) e a do Mérito Cultural Belas Artes (conferida pala Associação Fluminense de Belas Artes). 

Participou, como entrevistado, do projeto “Personalidades de Niterói”, iniciativa da Associação Atlética do Banco do Brasil – AABB/Niterói. Autor dos enredos carnavalescos “Jorge Amado – do País do Carnaval à Tieta do Agreste” (1978) e “E agora malandro? – Você ganhou a loteria!” (1979), desenvolvidos para Escolas de Samba de Niterói, e de monografia sobre o Clube da Madrugada (movimento cultural de escritores amazonenses nos anos 1950). 

Das muitas palestras proferidas, destacam-se: “Teatros do Brasil” (participação de Beatriz Chacon e Thuany de Carvalho), “Fagundes Varela”, “Cora Coralina e Manoel de Barros (participação de Gracinda Rosa e Lena Jesus Ponte), “Xavier Placer, 50 anos de literatura”, “Adelino Magalhães, e o pré-modernismo”, “Cora Coralina e Florbela Espanca, um encontro tão possível”, “Articulação poética aproximando Luiz Barcellar e Jorge Tufic” e “Lindalva Cruz e suas composições amazônicas” .

É autor de contos e crônicas publicados em jornais e revistas e de alguns prefácios. Possui textos em antologias.

 
 
SEQUENCIAL DE ALGUMAS IMAGENS DO EVENTO
 
Renato Augusto e Gracinda Rosa
 
Edel Costa, Renato Augusto, Gilson Rolim
 
Renato Augusto e Marcos V. Varella
 
Renato Augusto e Luíz Antônio Barros
 
Aldo, Marcia Pessanha e Renato Augusto
 
 
Adriana Varella e Renato
 
Renato e Marcia Erthal, Publisher da Nitpress
 
 
Alberto Araújo - Editor do Focus
 
 
À VENDA NAS MELHORES LIVRARIAS OU PELO SITE
 
 

Site: www.nitpress.com.br    
Contato: (21) 2618-2972

 
IDEALIZAÇÃO E EDIÇÃO EDITORA NITPRESS.
 

 
 
A literatura fluminense foi, entre todos os afluentes regionais, o maior tributário para o curso formador das letras nacionais. Basta dizer que, apenas na fase do Romantismo, movimento que originou a própria literatura brasileira em termos efetivos, quase 30% dos autores hoje considerados clássicos, excetuando outros tantos nascidos na cidade do Rio de Janeiro, eram naturais da Província fluminense, como Casimiro de Abreu (Barra de São João, atual município de Casimiro de Abreu), Raul Pompéia (Angra dos Reis), Joaquim Manoel de Macedo (Itaboraí) e vários outros, de acordo com os nomes elencados por Antonio Candido em sua alentada obra “Formação Literária Brasileira”.

Nas fases seguintes, a contribuição do Estado do Rio não foi menor. Que o digam as obras parnasiana de Alberto de Oliveira (Saquarema), o “Príncipe dos Poetas”, e modernista de Adelino Magalhães (Niterói). Isso para não falar no autor daquela que é considerada pelos críticos e historiadores como o maior ícone da literatura brasileira – Os Sertões –, Euclides da Cunha (Cantagalo), cujo centenário de morte, digno de merecer a mesma relevância atribuída em 2008 ao de Machado de Assis, está sendo reverenciado ao longo do ano de 2009.

 

Entre os contemporâneos, os autores fluminenses continuaram merecendo posição de destaque, como mostram José Cândido de Carvalho, Geir Campos, Marcos Almir Madeira e Antônio Callado, entre tantos outros.
Hoje, escritores notáveis, como Luís Antônio Pimentel, o quase centenário introdutor do cânone do haicai no Brasil, sustentam a tradição da boa literatura que brota em terra fluminense.


Essa é a matéria-prima. Esse é o compromisso da Nitpress.
Literatura fluminense pura e simples.
 

 
Conheça alguns dos escritores que compõem o cast da Nitpress:
 
 
 
 
Luís Antônio Pimentel (Contos do Velho Nipon, Haicais Onomásticos). Introdutor do cânone do haicai no Brasil, autor do primeiro livro de contos japoneses publicado no Brasil e primeiro poeta brasileiro publicado no Japão.
 
Edmo Rodrigues Lutterbach (Alberto de Oliveira, o príncipe dos poetas). Presidente da Academia Fluminense de Letras e um dos mais respeitados euclideanos, tendo vivido a primeira infância na casa em que nasceu Euclides da Cunha.
 
Márcia Pessanha (Casimiro de Abreu, o poeta das primaveras). Presidente do Cenáculo Fluminense de História e Letras, Diretora da Faculdade de Educação da UFF.
 
José Alfredo Andrade ou Jota Andrade (A flor e o pecado). Presidente da Academia Brasileira de Literatura e membro de diversas outras entidades acadêmicas.
 
José Inaldo Alonso (Águas e Outono, Croniquário da Água Escondida). Escritor e historiador fluminense. Membro da Academia Fluminense de Letras, do Cenáculo Fluminense de História e Letras e da Academia Niteroiense de Letras, entre outras instituições.
 
Sandro Rebel (Minidicionário Anticonvencional). Membro da Academia Fluminense de Letras e da Academia Niteroiense de Letras.
 
Carlos Rosa Moreira (Amanhã de manhã, em frente ao cinema, em Icaraí). Membro da Academia Niteroiense de Letras e do Cenáculo Fluminense de História e Letras.
 
Roberto Kahlmayer-Mertens (Verdade-Metafísica-Poesia). Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Niterói.

 
imagem conceito
 

Conheça o catálogo completo da editora
 

 

Nenhum comentário: