terça-feira, 11 de novembro de 2014

CONVITE PARA O LANÇAMENTO DO LIVRO "CRONICONTANDO 2" DO ESCRITOR CRONISTA SANDRO PEREIRA REBEL NO ISTITUTO ITALIANO DE CULTURA SEDE NITERÓI.


CONVITE



A EDITORA NITPRESS
CONVIDA PARA O LANÇAMENTO DO LIVRO

CRONICONTANDO 2

DE SANDRO PEREIRA REBEL


DIA 13 DE NOVEMBRO DE 2014 - (QUINTA-FEIRA)
ÀS 18 HORAS
NO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA - RJ - SEDE NITERÓI
AV. PRESIDENTE ROOSEVELT, 1063
SÃO FRANCISCO - NITERÓI




O livro contém, em sua quase totalidade, crônicas e/ou minicontos que foram publicados em 2002, pela Imprensa Niteroiense. Na apresentação da obra entram dois vultos conceituados no meio literário de Niterói: prefaciando-o, o escritor, professor e filólogo Luiz Antonio Barros, e a orelha é do ilustríssimo intelectual, de talento multifacetado, Sávio Soares de Souza.



***



GÊNIO DO CORAÇÃO CRISTALINO

Sandro Pereira Rebel constitui um dos intelectuais de elevada proeminência em nossa cidade, artista importante das sensíveis letras.
Apresenta-nos CRONICONTANDO 2. Outra visível preciosidade.  A primeira  ficou com suas luzes de néon acesa pelos elevados outdoors  da literatura  por uma década, e agora o escritor nos proporciona a segunda dosagem. Assim,  esse novo exemplar produtivo divaga nos patamares da cultura fluminense  e  ele entroncará suas raízes nas veias da modernidade. Esta autêntica obra justificará o objetivo de seu retorno, seja bem-vinda de volta.
As  crônicas/contos têm a voz palpitante e uma afável claridade, as quais,  quando se materializam nas funduras do apogeu poético e do encantamento literário, fazem valer as formas tradicionais e adequadas da arte poética.
As letras  cantadas prescindem da métrica comumente. Nelas, eu diria que há categorias gramaticais de apoio construtivo e de sabedoria valiosa. São mágicas  crônicas que contêm mapas celestes e densas músicas. Seus textos apresentam fácil acesso. Buscam o fluído e o frescor da linguagem agradável, a mesma elocução que, ao brotar do papel, torna-se uma cascata de beleza.
Discorreria,  então, são adubos das singelas searas. Estas, depois de descortinadas,  se revelam em frutos com grande intensidade nos tapetes de prestezas  sentimentais.
Sandro é um bardo sensível e altamente humano, partidário da paz e da simplicidade, sem perder a sua capacidade ética,  é claro!.
O poeta emergiu à minha superfície categórica, com seu cinético lado macrocósmico e luminoso, logo que cheguei a Niterói. Conheci-o quando comecei a frequentar o Quiosque dos Escritores Ao Ar Livro. Associação que tem como coordenador outro conceituado artista das letras, o curador Paulo Roberto Cecchetti. 
As duas safiras que Sandro carrega em seus olhos e que se interligam ao seu coração plangente disseram-me que: 
O poeta tem força de expressão 
e sabedoria amorosa, 
domador de versos iluminados 
no íntimo da cadência poética”.  
E aí chego à conclusão de que entre as maravilhas sensíveis de sua arte e a presença constante da sobriedade  em sua totalidade, logo alcançam o fluxo pictórico e terreno da intelectualidade. Tais atributos relevantes Sandro Pereira Rebel carrega nas páginas da sua vida literária.
    Alberto Araújo,
  escritor, jornalista,
   editor do FOCUS.



SANDRO REBEL



Nasceu em Campos em 17 de março de 1934. Filho de Nelson Pereira Rebel e Zilá Peixoto Rebel. Fez o curso Primário no Colégio Rui Barbosa e o Ginásio no Liceu de Humanidades de Campos, entre 1941 e 1951.

Em 1952 mudou-se para Niterói (RJ), onde cursou a Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF), vindo a se formar em 1956.

Trabalhou como funcionário da Administração Pública Estadual, no cargo de oficial administrativo. Foi ainda escriturário, datilógrafo, técnico de administração e, por último, procurador do estado, cargo em que se aposentou em 1988.

Em 1956 deu inicio às suas atividades literárias na imprensa campista, escrevendo artigos e crônicas para os jornais “Folha do Povo”, “Folha do Comércio” e “Monitor Campista”.

Em 1958 ganhou menção honrosa em concurso de âmbito nacional promovido pela revista “Alterosa”, de Belo Horizonte (MG).

Também trabalhou na imprensa de Niterói na redação de “O Fluminense” e, a partir de 1994, esteve publicando seus trabalhos em prosa e verso, durante quase três anos, na “Folha de Niterói”. Sandro Rebel faz parte do Grupo Mônaco de Cultura.

Obras:

Arco-Íris – 1996;
Subsídios para a história de um calçadão – 1996;
Verdes e Maduros – 1997;
Contos de outros tempos – 1997;
Lampejos – 1998;
Dois tempos – 1999;
Geografia do Estado do Rio de Janeiro (1ª ed.) – 1956




Sandro Rebel e sua esposa Nicoleta Rebel.
Quiosque Escritores Ao Ar Livro





Fonte:
PIMENTEL. Luís Antônio. Enciclopédia de Niterói, 2004 



Nenhum comentário: