domingo, 15 de março de 2015

MÁRIO ROSSI - UM COMPOSITOR PETROPOLITANO - ESPECIAL SOBRE O LETRISTA NO PROGRAMA "ALMANAQUE" DA RÁDIO ROQUETTE PINTO, COM ITERBIO ALDRIGHI E PATRÍCIA GREGORY. CONFIRA.



(CLICAR NA IMAGEM PARA ASSISTIR AO VÍDEO)




Focus Portal Cultural é uma revista eletrônica apoiadora da cultura fluminense, compartilha com você um especial do Programa Almanaque, com Iterbio Aldrighi e Patrícia Gregory.

Programa Almanaque especial com Mário Rossi. Assista o vídeo com o consagrado compositor, letrista, que se tivesse vivo teria completado 100 anos em 2011. Artista que escreveu mais 200 composições.  Letrista de sucesso foi responsável por letras que passaram para a História da MPB - Música Popular Brasileira como grandes sucessos. Foram os casos de "Beija-me", com Roberto Martins, "Que será", com Marino Pinto, e "O destino desfolhou" e "Renúncia", com Gastão Lamounier e outras.

Clicar no link que a seta vermelha indica, para assistir ao especial Mário Rossi ao Canal You Tube, com os apresentadores Iterbio Aldrighi e Patrícia Gregory.





 ALMANAQUE - revista eletrônica de Cultura, com múltiplas e variadas seções, como 'Teatro', 'Literatura', 'Memória do Rádio', 'Saudade Não Tem Idade', 'Cada Música, uma Estória', 'Alma das Coisas', 'Cantores do Rádio', 'O Cinema e seus Filmes' e muitas outras.

Programa Almanaque Especial Mário Rossi, teve parceria pública da Rádio Roquette Pinto, 94,1 FM ( www.94fm.rj.gov.br ) e a Unitevê (Canal universitário de Niterói) (www.uniteve.uff.br).

ALMANAQUE – A CULTURA EM REVISTA.

Aos domingos, de 7 às 8 horas, pela Rádio Roquette Pinto, 94,1 FM,  com produção de Iterbio Aldrighi. Apresentação de Iterbio Aldrighi e Patrícia Gregory.


Um pouco sobre o compositor Mário Rossi.

Mário Rossi com 29 anos.


Mário Rossi nasceu em Petrópolis no dia 23 de maio de 1911 e faleceu no Rio de Janeiro no dia 12 de outubro de 1981. Foi um compositor e poeta brasileiro. Principalmente letrista, foi responsável por letras que entraram para a História da MPB - Música Popular Brasileira e foi diretor da Sbacem.

Biografia

Descendente de italianos, Mário estudou até o terceiro ano do ginásio devido às mudanças constantes de sua família, em busca de melhores empregos como operários, passando pelo Rio de Janeiro e por Barbacena antes de voltarem para Petrópolis Começou a trabalhar muito cedo.

Em 1925, trabalhou como comerciário e ingressou na Escola de Grumetes de Angra dos Reis, abandonando-a no ano seguinte. Estudou desenho em tecidos e, por cerca de quatro anos, foi contramestre de tecelagem na Fábrica Andorinha em Santo Aleixo, RJ.
Começou a colaborar com os jornais de Magé e de Angra dos Reis. Também escreveu para O Malho e, em 1933, para o Jornal de Petrópolis, no qual assinava como Mário apenas. Depois, ingressou no primeiro Batalhão de Caçadores do Exército, do qual se desligou no ano seguinte, como cabo.

Transferiu-se definitivamente para o Rio de Janeiro dois anos depois, trabalhando por oito meses em escritório e, a partir de 1936, como guarda civil, profissão que exerceu por sete anos.

No mesmo ano, conheceu Gastão Lamounier, com quem compôs as valsas Assim acaba um grande amor e E o destino desfolhou, ambas lançadas por Carlos Galhardo em disco Odeon. Também foi em 1937 que publicou seu livro Poemas para ler e escrever.

Em 1943, Nelson Gonçalves alcançou seu primeiro grande sucesso com seu fox Renúncia (parceria com Roberto Martins). Escreveu letra para choro do maestro Fon-Fon,Murmurando, que se tornou o maior sucesso de Odete Amaral em 1944. Outro grande sucesso do ano foi A valsa dos noivos (com Roberto Martins), lançada por Roberto Paiva e as Três Marias em disco Victor e que, a partir de então, se tornou parte do repertório dos noivados e dos casamentos.

Seu bolero Que será?(com Marino Pinto), gravado por Dalva de Oliveira, fez parte da polêmica musical que envolveu a cantora e seu ex-esposo, Herivelto Martins, após a separação de ambos. Quatro anos depois, Mário e Herivelto vieram a compor juntos e fizeram o samba-canção Obrigado, Maria, gravado por Orlando Silva na Copacabana.

Em 1972, lançou o livro de poemas Argila humana, com um prefácio do radialista Paulo Roberto, reunindo sua arte poética de quarenta anos de produção intelectual.

Teve mais de 150 composições gravadas por artistas como Carlos Galhardo, Nelson Gonçalves, Ângela Maria, Dalva de Oliveira, Vicente Celestino, Jorge Goulart, Orlando Silva, Marlene, Emilinha Borba, Aracy de Almeida, Teixeirinha, sendo Gilberto Alves seu maior intérprete. Criou junto de renomados compositores da música popular brasileira, principalmente Roberto Martins, com quem compôs mais de quarenta músicas.


ALGUMAS MÚSICAS
Clicar no título da música para lê a composição:



Saiba mais sobre o artista, adquirindo as obras:
Bibliografia Crítica  Mário Rossi.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Mec/Funarte, 1982.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume1. São Paulo: Editora: 34, 1999.

VASCONCELLO, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira - volume 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.




APOIO CULTURAL E DIVULGAÇÃO








FONTE:




Um comentário:

Anônimo disse...

Grande compositor petropolitano, que, como muitos outros do passado estão esquecidos. A música internacional, particularmente a americana tomou conta do país, juntamente com essa "cosias" que chamam de música, como axê, funck e outras...

Programas de CALOUROS... é cosia rara vermos uma candidato apresentar-se cantando um música brasileira e, aquelas do passado brilhante, muito menos.
Cantores... quem temos hoje, com a voz de ORLANDO SILVA, ROBERTO SILVA, NELSON GONÇALVES, CARLOS GALAHRDO, E TANTOS OUTROS. Hoje, só aparêcnia.. mocinhos bonitinhos que não cantam nada...