segunda-feira, 31 de agosto de 2015

ALBERTO ARAÚJO EM ACRÓSTICO PELO POETA JOSÉ PAIS DE MOURA SIMÕES E EM HAICAI PELA POETISA ELENIR TEIXEIRA.

 

                                        ALBERTO ARAÚJO EM ACRÓSTICO
                  PELO POETA E TROVADOR PORTUGUÊS
                          JOSÉ PAIS DE MOURA SIMÕES.
 
 
                        A gradeço do coração
                        L indos e-mails enviados
                        B ons conselhos sempre dão
                        E mergem sem precipitação
                        R abiscos jamais serão
                        T odos, todos não emendados
                        O nde ficam, bem guardados.
 
                        A migos, seja onde for
                        R epartes tudo com muito amor
                        A mor tens da Companheira
                        U nidos até à morte
                        J untos, abraço forte
                        O nde vão... Amizade altaneira.
 
 
 ******************************************
 
 
 
ALBERTO ARAÚJO EM HAICAI
PELA POESTISA ELENIR TEIXEIRA. 
 

 
 
 
 

Nos veio do norte,
valoroso amigo e poeta,
Alberto Araújo.
 
 

Abraços.
Elenir
 

 
 

sábado, 29 de agosto de 2015

ALBERTO ARAÚJO É HOMENAGEADO COM ACRÓSTICO PELA PROFESSORA NICOLETA REBEL.

 
 
 
 
ACRÓSTICO ALBERTO ARAÚJO
 
 
A í estás onde merecias
L ouvado pelos excelentes trabalhos
B ebam todos de teu talento
E stimulados por tua verve
R aros são os abençoados
T endo tua arte como prêmio
O s que a tem sejam bem-vindos
 
A ti rendam homenagens
R uindo preconceitos e inveja
A ti todos agradeçam
U mbrais atingidos e partilhados
J á alcançaste o Olimpo
O nde ficam os poetas maiores.
 
 
By © Nicoleta Rebel.
Niterói - RJ
25-08-15.
 
 
 
  
 
 
 
Olá amigo, uma homenagem a você de coração. Em 25 de agosto de 2015.
Nicole Rebel
 
 
 

MANHÃ AGRADÁVEL DE 15 DE AGOSTO - SÁBADO, COM ESPETACULAR CHORINHO E SABOROSO CAFÉ, NO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI NITERÓI.

 
 
 
(CLICAR NA IMAGEM PARA ASSISTIR AO VÍDEO)
 

 
OU CLICAR NO LINK DO CANAL YOU TUBE
DO FOCUS PORTAL CULTURAL
 
 
 
 
MANHÃ AGRADÁVEL DE 15 DE AGOSTO - SÁBADO,
COM ESPETACULAR CHORINHO E SABOROSO CAFÉ,
NO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI NITERÓI.
 
Espetacular e tocante foi a atração musical apresentada em comemoração à abertura do segundo semestre letivo e dos eventos culturais a serem realizados naquela entidade.
Em vez do início da confraternização acontecer com as tradicionais músicas de diversos compositores do universo clássico, o presidente do Istituto Italiano di Cultura di Niterói o italianíssimo Fabrizio Sassi trouxe para abrilhantar o ambiente, cavaquinho e violão. Verdade! foram apenas esses dois instrumentos que se fizeram necessários para compor o INSTRUMENTAL CHORO.
O  "Café com Chorinho" iniciou-se às 9 horas,  ao som da boa música de Victor Salzeda. O instrumentalista, que é também ator e diretor de teatro, iniciou a apresentação trazendo ao recinto melodias de diversos autores consagrados: Pixinguinha,  Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Toquinho, Vinicius de Moraes e outros.
Logo que começaram a soar os primeiros acordes no ambiente, um  cheiro agradável de café espalhou-se pelo recinto... Em um cenário aprazível e clima típico de inverno, mas cheio de calor humano, os representantes de todos os grupos culturais... amigos e jornalistas, professores e alunos... começaram a chegar para a confraternização.
Enquanto o músico apresentava o  seu show,  com canções de ritmos variados, como: bossa nova, samba-canção e muito chorinho, os convidados se deleitavam com os deliciosos  quitutes, sucos, iogurtes e outras iguarias. Segundo informações precisas de alguns participantes, todas as guloseimas foram preparadas pela primeira dama do Istituto Italiano di Cultura, a professora e acadêmica Luiza Sassi.
No entremeio da apresentação musical, o diretor da casa Fabrizio Sassi falou ao público sobre o projeto cultural do Istituto para o segundo semestre.  Outro que discursou foi o acadêmico e presidente da AFL, Waldenir de Bragança.
A apresentação do chorinho agradou a todos os presentes e certamente aquela manhã inesquecível ficou registrado na memória dos participantes.
Como é tradição essa revista cultural prestigiar as diversidades culturais em nossa cidade há 4 anos, o nosso diretor produziu com fidelidade fotos e imagens visíveis nesta página. É só clicar no link do vídeo:
 
 
ALGUMAS IMAGENS DO EVENTO
 
 

Fabrizio Sassi
Presidente do IICN.

Mesa com o Caffè

Aldo Pessanha, Márcia Pessanha e Fabrizio Sassi.

Outro ângulo da mesa

Os músicos do Chorinho.

Luiza Sassi e amigas convidadas.


Liane Arêas, Marcia Pessanha, Cecília Medeiros.

Victor Sassi e Luiza.

Geovanna Sassi e Luiza.





Família Sassi

Os músicos do Chorinho e Alberto Araújo.
 
 

UMA CURIOSIDADE SOBRE  O CHORO:
O choro é um estilo predominantemente instrumental, mas ocasionalmente algumas composições ganham letras, passando a ser cantadas. Os conjuntos musicais que executam o choro são chamados de rodas de choro, e os músicos que o praticam são conhecidos como chorões.
Ao executar o choro, o intérprete possui liberdade para tocar as melodias, pois não precisa seguir à risca as notas impressas na partitura. O resultado final do choro depende, portanto, em grande parte da interpretação dos músicos. Os intérpretes podem improvisar sobre o ritmo das melodias ou até mesmo inserir notas e ornamentos não indicados originalmente na partitura.
Os instrumentos típicos utilizados nas rodas de choro são a flauta (usada para a execução das melodias), o bandolim (melodia e acompanhamentos), o cavaquinho (melodia e acompanhamento), o clarinete (melodia), o saxofone (melodia), o violão de 6 cordas (melodia e acompanhamento), o violão de 7 cordas (melodia e acompanhamento) e o pandeiro (percussão). Eventualmente, são inseridos o piano (melodia e acompanhamento) e o trombone (melodia).
Uma das figuras centrais no nascimento do choro foi o carioca Joaquim Antônio Calado (1848-1880), flautista que integrou “O Choro de Calado”, um conjunto instrumental formado por ele, dois violonistas e um músico que tocava cavaquinho. Calado é considerado um dos criadores do choro. A música "Flor Amorosa", composta por ele em 1867, é assinalada como a primeira composição deste gênero musical.
Outros artistas que fizeram história no choro, depois de Calado, foram o flautista Viriato Figueira, a pianista Chiquinha Gonzaga e os compositores Anacleto de Medeiros e Ernesto Nazareth.
No século XX, cabe destacar como nomes expressivos do choro os flautistas Patápio Siva e Altamiro Carrilho, os violonistas João Pernambuco e Garoto, os compositores Pixinguinha, Heitor Villa-Lobos e Radamés Gnattali, o clarinetista e saxofonista Luiz Americano, o maestro Severino Araújo, o bandolinista Jacob do Bandolim e o virtuose do cavaquinho Waldir Azevedo (compositor de “Brasileirinho”, talvez o choro mais famoso de todos os tempos).
Por fim, como curiosidade, é importante lembrar que existe um dia dedicado a este gênero musical. 23 de abril é apontada como o Dia Nacional do Choro. Foi nesta data que nasceu o compositor Pixinguinha (1897-1973), nome importante para a evolução deste gênero musical.
Ouça na voz de Maria Martha - FLOR AMOROSA - Joaquim Callado e Catullo da Paixão Cearense - gravação de 1977.
 
REALIZAÇÃO
 
 
APOIO CULTURAL
 
 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A ASPI - UFF - PROMOVE ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO EM HOMENAGEM AOS PAIS E AOS ASPIANOS ANIVERSARIANTES. CONFIRA.

 
 
Clicar na imagem para assistir ao vídeo
produzido pelo Focus Portal Cultural.
 

 
Ou clicar no link do Canal You Tube
 
 
 
 
A APRAZÍVEL CONVIVÊNCIA DA ASPI-UFF
 
 
Na última quinta-feira (13 de agosto), a Associação dos Professores Inativos da Universidade Federal Fluminense - ASPI - UFF realizou um almoço de confraternização em homenagem aos pais e aos aniversariantes do mês de agosto.
O evento aconteceu em sua sede, situada na Rua Passo da Pátria, 19, São Domingos, Niterói - RJ, onde aproximadamente 60 aspianos, juntamente com amigos, participaram da confraternização. Prestigiando o encontro de convivência  estavam a presidente da entidade a professora, doutora Aydil de Carvalho Preis e todo o seu secretariado e várias personalidades aspianas e amigos de diversas instituições educacionais e literárias.
Obedecendo à programação, primeiro foi servido o Coquetel de Boas Vindas,  dando sequência, ouviu-se a Palavra da Presidente e, em seguida, foi oferecido o delicioso almoço, a cargo do Buffet gastronômico Sabor a Parte.
Logo após da saborosa refeição, apresentou-se o Coral "Cantar é Viver" da ASPI-UFF acompanhado do maestro e musicista Joabe Ferreira e, a seguir,   em homenagem aos pais, aconteceu a Abertura da Exposição do artista plástico Robert Preis,  de nacionalidade alemã, radicado há décadas no Brasil. Aqui trabalhou até aposentar-se como professor da Língua e Literatura Alemã da USP, da UFF e do ICBA-RJ.
Segundo o depoimento escrito do curador de arte Antonio Machado,  a arte do professor Robert Preis  apresenta,  "características personalíssimas. Chega, às vezes, a lembrar a lendária gráfica crítica da República de Weimar, na qual a nata da arte alemã utilizou-se do desenho, da pintura e do pensamento filosófico, para criticar, denunciar e exibir as diferenças sociais...".
Na ocasião, foram entregues os trabalhos artesanais aos pais homenageados: Luiz Calheiros, Joaquim Gonçalves, Raimundo N. Damasceno, Acyr de Paula Lobo, Antônio Puhl, José Pedro Esposel, Maximiano de C. e Silva, Marcio Selles, Isar Trajano da Costa. Todos eles ficaram retratados com a fidelidade dos traços pessoais reproduzidos pelo agudo olhar do mestre Preis. O artista iluminou  a marca mais característica de cada um, captando o que lhe fosse verdadeiramente peculiar.
Assim, essas personalidades tiveram a sua imagem(efígie)  modulada em uma espécie de medalhão feito de argila cozida com a circunferência de 26 cm de diâmetro.

Foi um momento emocionante, em que a surpresa se estampava na fisionomia dos agraciados diante de  tal mimo.
Além de cinzelador de efígies, Roberto Preis é músico, caricaturista e também poeta. E dos bons! Já nos deu três livros de versos em língua portuguesa: Transpondo fronteiras (1999), Procurando um caminho (2000) e Reunindo pontas soltas (2002). Mas "esconde  na manga", ainda mais um, quentinho,  já prestes a ir ao  forno, sendo aguardado pelos leitores. Muitos de seus poemas  são flashes de situações cotidianas impregnadas de crítica social e de humor, uma das marcas do seu traço poético.
Apesar de ter feito de Niterói a sua morada, Preis não se esquece das raízes natais. Frequentemente volta à pátria da infância, mas aqui criou também laços afetivos. Casou-se com a ilustre historiadora Aydil de Carvalho Preis, presidente da ASPI-UFF e conquistou muitos amigos brasileiros com sua fidalga gentileza e suas criações .
Por fim, para coroar essa prazerosa tarde de convívio com os membros aspianos, foi cantado o tradicional  parabéns aos aniversariantes do mês de agosto.

O Focus Portal Cultural, através de seu diretor, esteve presente e trouxe para você momentos expressivos do memorável acontecimento.
Assista ao vídeo, clicando no link do Canal You Tube do Focus Portal Cultural abaixo:
 
 
 
UM POUCO SOBRE A ENTIDADE
 
A Associação dos Professores Inativos da Universidade Federal Fluminense - ASPI - UFF, criada em 14 de julho de 1992, tem como finalidade apoiar a defesa de direitos e qualidade de vida de seus associados - cerca de 600 - entre professores aposentados e pensionistas da UFF.
Entidade de caráter cultural, técnico-cientifico e de lazer, a ASPI promove uma variada gama de atividades socioculturais, abertas também à comunidade, como Saraus Vespertinos, palestras, cursos diversos, passeios, além do Almoço de Confraternização mensal.
Destacam-se, ainda, o Coral "Cantar é Viver e o informativo mensal ASPI-UFF de Notícias. Desde 1997, possui os títulos de Utilidade Pública, nos âmbitos estadual e municipal(Leis nº 2.766 e nº 1.567, respectivamente).
 
 
ALGUMAS IMAGENS DO EVENTO


A presidente Aydil Preis com as suas secretárias.
Dirce (esposa de Maxiamiano), Robert Preis
e Maximiano de C. Silva
Joaquim Gonçalves posa com a escultura feita
pelo artista Preis para essa revista.

 Antonio Puhl e Luiz Calheiros(ao fundo)
e Artur Santa Rosa (camisa amarela).

 
Um flagra deste editor:
Aspianos leem a sua coluna Cultura
no jornal Santa Rosa.

Outro flagra deste editor:
O aspiano Luiz Calheiros lê a sua coluna Cultura
no jornal Santa Rosa.

As aspianas Felisberta e Cecília Medeiros
apreciam as esculturas de Preis.
 
 
Esculturas de Robert Preis
expostas sobre a mesa da secretaria da ASPI - UFF.

O casal Dirce e Maximiano Carvalho.

Escultura do aspiano Claudio Gonçalves.

José Pedro Esponsel exibe
a sua escultura.


Robert Preis com amiga aspiana.

O artista plástico Robert Preis
apresenta-nos as suas esculturas.

O artista plástico Robert Preis
apresenta-nos outras esculturas.

Alberto Araújo e Robert Preis.

Momento da apresentação do Coral
"Cantar é viver"

O "Coral Cantar é viver" da ASPI-UFF
(momento da apresentação).

O "Coral Cantar é viver" da ASPI-UFF
(momento da apresentação com o maestro Joabe Ferreira).

Público presente ao evento.

Luiz Calheiros recebendo a escultura
produzida pelo artista plástico Robert Preis.

Joaquim Gonçalves recebendo a sua escultura.

Acyr de Paula Lobo recebendo a sua escultura.

Antônio Puhl recebendo a sua escultura
produzida pelo artista Robert Preis.

José Pedro Esponsel recebendo a sua escultura.

Maximiano Carvalho e Silva recebendo a sua escultura
e o retrato pintado por Robert Preis.

Isar Trajano da Costa recebendo a sua escultura.

Dalva Regina, Claudio Gonçalves e Robert Preis.

Momento do Parabéns aos aniversariantes.

Cecília Medeiros e Felisberta e outras aspianas.

Público presente.

Momento de servir o bolo aos aniversariantes.



Robert Preis e Antônio Puhl


Isar Trajano da Costa

Joaquim Gonçalves

José Pedro Esposel

Luiz Calheiros

Marcio Selles

Maximiano de Carvalho e Silva

Maximiano de Carvalho e Silva


 
Zeneida Seixas, Aydil Preis e Shirley Araújo.

Zeneida Seixas, Aydil Preis e Alberto Araújo.
 
Maximiano Carvalho e Silva
(momento em que profere palavras de agradecimento)
 
Maximiano exibe a escultura feita por Preis.

A família Preis posa para esta revista.






 


AGENDA CULTURAL DA ASPI/UFF
DO
MÊS DE SETEMBRO DE 2015.
 


8 (terça-feira), às 14h – Ida à Bienal do Livro. Agendem. Inscrições na Secretaria.

15 (terça-feira), às 14h – Palestra Música e Amor na Idade Média –Troubadours, trouvères e trovadores, com o maestro Márcio Paes Selles.

22 (terça-feira), às 14h – Palestra Neurobiologia das Emoções. Com a doutora em Neurociência, professora Isabela Vilarinho de Paula Lobo.

22 (terça-feira), às 17h – Abertura da Exposição “Um artista e sua Arte” – José Maria Campos Nascimento (in memoriam), no Centro de Memória Fluminense, Biblioteca Central do Campus do Gragoatá, em S. Domingos.

24 (quinta-feira), às 15h – Chá Vespertino, em homenagem às Secretárias,com a apresentação do Prof. Antonio Pantaleão ao piano.

28 a 30 (de segunda a quarta-feira) – IV Encontro de Corais da ASPI-UFF, a realizar-se no Auditório do Núcleo de Estudos em Biomassa e Gerenciador de águas da UFF (NAB/UFF), no Campus da Praia Vermelha (fundos da Escola de Engenharia), a partir das 17h.


 
Importante: TODOS os eventos são de livre acesso ao público.

 
LOCAL

ASPI-UFF – 
Associação dos Professores Inativos da Universidade Federal Fluminense.
Rua Passo da Pátria 19, São Domingos, 
Niterói-RJ- Brasil.

Tel.: 21 2622-1675 e 2622-9199.


 
 
DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente: Aydil de Carvalho Preis
1º Vice-Presidente: Lúcia Molina Trajano da Costa
2º Vice-Presidente: Ilka Dias de Castro
Secretária Geral: Magaly Lucinda Belchior da Mota
Secretária Adjunta: Nilza Simão
Tesoureira Geral: Dalva Regina dos Prazeres Gonçalves
Tesoureira Adjunta: Léa Souza Della Nina

Endereço: Rua da Pátria, 19, São Domingos,
Niterói - RJ-Brasil.
 

 
APOIO CULTURAL
 
 
 
Não esqueça de assistir ao vídeo
com as imagens do evento.