quinta-feira, 15 de outubro de 2015

ACADÊMICOS NÉLIDA PIÑON E MARCO LUCCHESI ESTÃO ENTRE OS 63 FINALISTAS DO PRÊMIO OCEANOS DE LITERATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA.

 
 
 

Acadêmicos Nélida Piñon e Marco Lucchesi estão entre os 63 finalistas do Prêmio Oceanos de Literatura em Língua Portuguesa - A relação foi divulgada dia 10 de setembro. A premiação destaca obras de poesia e prosa (romances, contos, crônicas, relato de viagem e diário).
Segundo os organizadores, o prêmio não é dividido em categorias e todos os gêneros concorrerão entre si. Os 63 classificados foram selecionados de uma relação de 592 inscritos. Em novembro deste ano, um novo júri indicará os 12 finalistas. Os quatro ganhadores serão anunciados em dezembro.
O “Oceanos” distribuirá um total de R$ 230 mil, divididos da seguinte maneira: primeiro colocado – R$ 100 mil; segundo – R$ 60 mil; terceiro – R$ 40 mil; e quarto – R$ 30 mil.

PERFIL DOS FINALISTAS
 

 
 
NÉLIDA PINON
Quinta ocupante da Cadeira 30 da Academia Brasileira de Letras, eleita em 27 de julho de 1989, na sucessão de Aurélio Buarque de Holanda e recebida em 3 de maio de 1990 pelo Acadêmico Lêdo Ivo. Em 1996-1997 tornou-se a primeira mulher, em 100 anos, a presidir a Academia Brasileira de Letras, no ano do seu I Centenário.

 
 
 

 
MARCO LUCCHESI
Sétimo ocupante da cadeira nº 15 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 3 de março de 2011, na sucessão de Pe. Fernando Bastos de Ávila , foi recebido em 20 de maio de 2011 pelo Acadêmico Tarcísio Padilha.
 
APRESENTAÇÃO DO PRÊMIO OCEANOS
 
O dia 2 de junho de 2015 marcou um histórico momento para Oceanos ‒ Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa, quando um conselho formado por oito estudiosos de literatura, Antonio Carlos Secchin, Beatriz Resende, Benjamim Abdala Jr., Flora Sussekind, José Castello, Leyla Perrone-Moisés, Lourival Holanda e Manuel da Costa Pinto, em diálogo com o correalizador do projeto, o Itaú Cultural – representado por Claudiney Ferreira, gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura –, e com a curadora-gestora do projeto, Selma Caetano, se reuniu no instituto para avaliar e aperfeiçoar a estrutura original da premiação.
Na ocasião, o Itaú Cultural assumiu em sistema colaborativo o processo de Oceanos, estabelecendo várias interfaces na própria estrutura do instituto, como a capilaridade proveniente de seus programas nas áreas de literatura e jornalismo cultural, a exemplo do Conexões – Mapeamento da Literatura Brasileira no Exterior e do Rumos; na gestão do prêmio, hospedada em seu site; e, em consequência, no alimento às redes que debatem e trocam experiências no segmento literário.
A edição de 2015 será realizada em três etapas de votação, marcadas pela transparência de critérios.
O valor da premiação aumentou, passando do total de 200 mil reais para 230 mil reais, divididos da seguinte forma:
1º vencedor = 100 mil reais
2º vencedor = 60 mil reais
3º vencedor = 40 mil reais
4º vencedor = 30 mil reais
1ª etapa
Na primeira etapa, entre 10 de junho e 10 de julho de 2015, 592 obras de criação literária foram inscritas no site www.itaucultural.org.br/oceanos2015  para concorrer ao prêmio.
As obras concorrentes tiveram primeira edição no Brasil entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2014. As obras com primeira edição em língua portuguesa fora do Brasil foram publicadas no país de origem entre 1o de janeiro de 2011 e 31 de dezembro de 2014, tendo sido publicadas no Brasil em 2014.
Para a primeira etapa, a curadoria – formada pela escritora Noemi Jaffe, pelo escritor Rodrigo Lacerda e pela produtora cultural Selma Caetano – indicou cem conceituados profissionais do meio literário, que, de 27 de julho a 31 de agosto, escolheram os primeiros classificados entre o total de livros inscritos.
Esse júri inicial escolheu também oito jurados entre seus membros, que junto com os três curadores formam os júris intermediário e final – para eleger, respectivamente, os 12 finalistas e os quatro vencedores.
Na segunda etapa de votação, de 9 de setembro a 8 de novembro de 2015, a curadoria e os oito profissionais indicados na etapa anterior analisam as 63 obras classificadas e elegem as 12 finalistas.
Oceanos - Histórico
Em 2003, uma importante empresa portuguesa de telecomunicações criou um prêmio literário como forma de incentivar o intercâmbio entre as literaturas lusófonas. A ação foi recebida com entusiasmo pelos meios editorial e livreiro brasileiros e logo se firmou como um importante evento cultural da literatura em língua portuguesa no Brasil.
Reconhecendo a importância e a relevância do prêmio para o meio artístico e para a sociedade, notáveis estudiosos da literatura – Antonio Carlos Secchin, Beatriz Resende, Benjamin Abdala Jr., Flora Sussekind, José Castello, Leyla Perrone-Moisés, Lourival Holanda e Manuel da Costa Pinto – e a curadora do prêmio Selma Caetano encontraram na parceria com o Itaú Cultural a possibilidade de continuação.
A partir de 2015, o Itaú Cultural, conselheiros e a curadora dão continuidade ao prêmio, que já consagrou 39 importantes escritores lusófonos, em formato similar ao que vinha sendo feito nos últimos 13 anos, com acréscimos e aperfeiçoamentos.
 

 
TAMBÉM POSTADO NO FOCUS CULTURAL
NO PORTAL SEM FRONTEIRAS
 
CLICAR NO LINK:
 
 
 
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: