terça-feira, 12 de julho de 2016

CONVITE PARA ENCONTRO COM O ESCRITOR COM ACADÊMICO E EMBAIXADOR GERALDO HOLANDA CAVALCANTI NO PEN CLUBE DO BRASIL.

 
 
 
 
 
CONVITE
 
 
 
O PEN CLUBE DO BRASIL
80 anos
Literatura e Liberdade de Expressão
 
 
Tem a satisfação de convidar
Vossa Senhoria e família para
 
 
ENCONTRO COM O ESCRITOR
 
 
Acadêmico e Embaixador
Geraldo Holanda Cavalcanti
 
 
Dia: 18 de julho, segunda-feira, às 17h30min
 
Local: Sede Social do PEN Clube do Brasil
 
Praia do Flamengo, 172 /1101 - Flamengo 
 
Rio de Janeiro - RJ - Brasil.
 
Informações: (21) 2556-0461
 
 
 
Geraldo Holanda Cavalcanti
Escritor e acadêmico
 
 
Sexto ocupante da Cadeira n.º 29, Geraldo Holanda Cavalcanti foi eleito no dia 2 de junho de 2010, na sucessão do Acadêmico José Mindlin, e recebido no dia 18 de outubro de 2010, pelo Acadêmico Eduardo Portella.
 
Em dezembro do mesmo ano foi eleito Tesoureiro e em 2011 Secretário Geral, tendo sido reconduzido em 2012. Em 2013 foi eleito Membro Correspondente da Academia das Ciências de Lisboa.
 
Geraldo Holanda Cavalcanti nasceu no Recife, em 6 de fevereiro de 1929. Fez o curso secundário no Colégio Nóbrega. Diplomou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Recife, em 1951, após estágio realizado na Academia de Direito Internacional da Haia, no ano anterior. É Membro Efetivo da Academia Mexicana de Direito Internacional.
 
Entrou para o serviço diplomático, por concurso direto, em 1954. Como Terceiro Secretário, serviu na Divisão Cultural e no Departamento Econômico e Consular, ocupando-se de aspectos jurídicos das relações internacionais em ambas as funções. Removido para a Embaixada em Washington, em 1956, participa da Comissão Encarregada de Redigir os Estatutos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
 
Em 1959, convidado pelo Embaixador Roberto Campos, à época Presidente do então Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDE), regressa ao Rio de Janeiro para criar, na estrutura do recém-inaugurado Departamento de Operações Internacionais, a Divisão de Contratos e Convênios, da qual foi o primeiro chefe.
 
Removido para o Consulado em Genebra, em 1960, no ano seguinte assessora o Embaixador Roberto Campos nas negociações para consolidação da dívida pública brasileira e a obtenção de créditos financeiros e de desenvolvimento junto aos governos e às instituições bancárias da República Federal da Alemanha, Bélgica, França, Holanda, Itália, Reino Unido, Suécia e Suíça.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: