quinta-feira, 1 de setembro de 2016

MAR (MUSEU DE ARTE DO RIO) NA ACADEMIA: SEMINÁRIO INTERNACIONAL EROS E DIONISO: AMOR E SEXUALIDADE NA CULTURA CONTEMPORÂNEA.


Fachada Principal do MAR.
Foto: Luiz Antônio Ryff. 

 
Muda (ameixa) 2016 -
detalhe da obra Pablo Lobato.
Col. do artista.
 

 
 
O seminário internacional “Eros e Dioniso: amor e sexualidade na cultura contemporânea” é um encontro interdisciplinar que discute transformações históricas ocorridas no campo do amor e da sexualidade. A partir dessas duas figuras míticas da nossa tradição ocidental, Eros e Dioniso, refletiremos a respeito do erotismo na contemporaneidade.

 
 
Nas últimas décadas, um leque de mudanças vem alterando os modos com que nos vinculamos aos outros no plano dos afetos e da sexualidade, um assunto amplo e de enorme interesse para diversas áreas de conhecimento, com foco especial na comunicação, em diálogo com a antropologia, a psicologia, a filosofia e as artes.

Por isso, para ministrar as conferências e participar dos debates, foram convidados pesquisadores de formações variadas, tanto nacionais como estrangeiros, que vêm refletindo com ousadia acerca dessas questões instigantes, com o intuito de enriquecer o diálogo e o pensamento sobre o assunto.

Este é um projeto da Universidade Federal Fluminense (UFF) em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Museu de Arte do Rio – MAR, por meio de seu programa MAR na Academia.

Local: Auditório 

14/9 | QUARTA-FEIRA

> 14h às 14h30min
Introdução
Boas-vindas: Museu de Arte do Rio
Apresentação geral: Paula Sibilia.

> 14h30min às 15h30min
Eros, Poros: pele e desejo
Maria Cristina Franco Ferraz.

A partir da mitologia grega em torno de Eros e Poros, será discutido o fechamento tendencial dos poros dos corpos deslizantes e acelerados contemporâneos, nos quais se curto-circuitam fluxos desejantes.
 
Nesses corpos, produz-se uma pele teflon, tão deslizante quanto impermeável. Como contraponto, será tematizada a abertura dos poros, a circulação do desejo e seus agenciamentos no corpo do bailarino.
 
Ao final, a bailarina Laura Samy fará uma breve intervenção coreográfica, como desfecho da conferência.
Mediação: Ilana Feldman

> 15h45min às 16h45min
O Dioniso extemporâneo de Nietzsche
Alexandre Mendonça.

As referências de Nietzsche a Dioniso atravessam toda a sua obra. Surgem em O nascimento da tragédia – seu primeiro livro, publicado em 1872 – e ganham importância central a partir de 1886, quando Nietzsche investe na escrita de textos autocríticos e, pouco a pouco, reformula o papel assumido pelo elemento dionisíaco em sua filosofia.
 
De todo modo, trata-se sempre de se apropriar de tal elemento para se contrapor às tendências correntes na cultura de seu tempo.
 
A mediadora procurará acompanhar as metamorfoses da imagem de Dioniso ao longo da trajetória descrita por seus textos, para daí extrair algumas pistas a partir das quais se pode pensar como nossa cultura vem delineando outros modos de lidar com a afetividade, reconfigurando o sentido do amor e da amizade.
Mediação: Maria Cristina Franco Ferraz

> 17h às 18h
Europa: relações abertas, fronteiras fechadas
Brigitte Vasallo.

A monogamia não é uma prática amorosa, mas um sistema de hierarquização das relações sociais a partir de vínculos e afetos.
 
No contexto europeu, as maneiras por meio das quais opera o sistema monogâmico nos laços íntimos tem uma forma paralela à maneira pelas quais construímos o Estado e essa estrutura supranacional que viemos a chamar de Europa.
Mediação: Paula Sibilia.

> 18h às 19h
Coquetel, lançamento e venda de livros.

 

>> CONFERENCISTAS
 

Alexandre Mendonça é professor da Faculdade de Educação da UFRJ, onde integra a equipe do programa de extensão Cinead e também a do núcleo de pesquisa Filosofias da Criação.
 
Doutor em filosofia pela UFRJ e mestre em filosofia pela Uerj. Seus estudos atuais convergem para a crítica às instituições de ensino modernas e para o esboço de alternativas a partir de interferências inspiradas pela arte.
 
Discute as contribuições da filosofia de Nietzsche para o campo da educação e seus desdobramentos em autores com Deleuze, Foucault e Derrida.

Brigitte Vasallo é escritora e ativista, com especial obsessão pela islamofobia de gênero e especial interesse pelas relações não monogâmicas como forma política. Docente do Mestrado de Gênero e Comunicação da UAB, assessora do programa Intimate do Centro de Estudos Sociais (CES) de Coimbra e autora da novela PornoBurka.
 
É colaboradora de numerosos meios de comunicação e faz parte dos coletivos Red Muçulmanas e Nasij, rede de inclusão do queer nas espiritualidades.

Maria Cristina Franco Ferraz, mestre em letras pela PUC-RIO e doutora em filosofia pela Sorbonne, com três pós-doutorados em Berlim, é professora titular de teoria da comunicação da ECO/UFRJ e pesquisadora do CNPq.
 
Foi professora visitante nas universidades de Paris 8, Richmond, Perpignan, Nova de Lisboa e Saint Andrews. Publicou os livros: Nietzsche, o bufão dos deuses (Rio:Paris), Platão: as artimanhas do fingimento (Rio:Lisboa), Nove variações sobre temas nietzschianos, Homo deletabilis – corpo, percepção, esquecimento: do século XIX ao XXI (Rio:Paris) e Ruminações: cultura letrada e dispersão hiperconectada.


Interior do MAR.
Foto: Chandra Santos.



 

Museu de Arte do Rio

Praça Mauá, 5, Centro
Rio de Janeiro - RJ - Brasil.
(21) 3031 2741










 
APOIO CULTURAL
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: