segunda-feira, 3 de outubro de 2016

HISTÓRIAS NA FAZENDA DA VOVÓ COTINHA É A ATRAÇÃO NA 54ª EDIÇÃO DO GIRO CULTURAL NA SALA LEILA DINIZ. CONFIRA.

 
 
 
 
 

 Diversão garantida na 54ª edição do Giro Cultural 
“Histórias na Fazenda da Vovó Cotinha”
é a atração de outubro

     O mês das crianças chegou e, como na Sala de Cultura Leila Diniz os pequenos sempre têm vez, vem aí mais uma edição do Giro Cultural com a peça  “Histórias na Fazenda da Vovó Cotinha”. O evento ocorrerá no dia 8 de outubro, às 12 horas, e é a programação perfeita para iniciar as comemorações desse período tão especial. A entrada é gratuita e a diversão garantida!
 
     Com um cenário colorido e uma bela trilha sonora, a peça infantil “Histórias na Fazenda da Vovó Cotinha” tem como enredo uma vovozinha fazendeira e sua amorosa neta, que está sempre por perto. A rotina das duas começa a mudar quando alguns mistérios acontecem na fazenda. Buscando descobrir o autor das travessuras, elas decidem criar um espantalho para assustar qualquer ave ou animal que esteja causando essa confusão. E é aí que se inicia uma grande aventura.
 
     Dirigido por Gugu Araújo e Cezar Cavalcanti, o espetáculo conta com os atores Fernanda Sorrentine, Vinícius Coelho, Rodrigo Becker e Emily Côrtez. O Giro Cultural é uma iniciativa organizada mensalmente pela Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Infocus Companhia de Teatro, e objetiva proporcionar cultura e lazer para a população fluminense. 
 
     Além da apresentação teatral, a Sala Leila Diniz também inaugurará a exposição “Inovar faz pARTE”, que conta com obras de 45 alunos da Oficina de Desenho Daniel Azulay. 
 
 

 
SERVIÇO:
54ª Edição do Giro Cultural
Data: 08/10/2016 (sábado)
Endereço: Rua Prof. Heitor Carrilho, 81 – Centro – Niterói/RJ
Hora: 12h
ENTRADA FRANCA
 
 
 
APOIO CULTURAL
 
 
 
 
 
 
 
 

Um comentário:

Luiz Carlos Lemme disse...

Os pintores da 'Esquina da Arte' não perderão as Histórias na Fazenda da Vovó Cotinha. Uma das meninas revelou-me a importância do teatro para sua vida de artista: "Quando a gente vê aquelas pessoas, pertinho, fazendo mágicas sinistras, dá uma vontade de entrar na história a ajudar a fada a caçar o bruxo. Eu fico livre, sem medo, louca pra inventar minhas mágicas e pintar na tela. Abracadabra!"