sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ELIS - O FILME - ASSISTA AO TRAILER OFICIAL, NO FOCUS PORTAL CULTURAL.

 
 
(CLICAR NA IMAGEM PARA ASSISTIR AO TRAILER)

 
OU CLICAR NO LINK DO CANAL YOU TUBE
 
 
Andreia Horta interpreta a cantora Elis Regina em filme do diretor Hugo Prata. A estreia da cinebiografia está marcada para o dia 24 de novembro de 2016.
Mas você poderá assistir ao trailer oficial, aqui no Focus Portal Cultural.

 
 
 
Andreia Horta interpreta
a cantora Elis Regina.
 
 
 
Elis Regina é interpretada por Andreia Horta (de "Império", "Liberdade, liberdade" e outros). Também estão no elenco Caco Ciocler, como César Camargo Mariano, Lucio Mauro Filho, como Miéle, Gustavo Machado, como Ronaldo Bôscoli e Julio Andrade, como Lennie Dale.
"Elis" ganhou três prêmios no Festival de Gramado, de melhor filme pelo júri popular, melhor atriz para Andréia Horta e melhor montagem para Tiago Feliciano.
 
Elis Regina

Andreia Horta
 
A vida de Elis Regina - indiscutivelmente a maior cantora brasileira de todos os tempos -, é contada nesta cinebiografia em ritmo energético e pulsante. A trendsetter cultural que sinalizou a mudança de estilos de Bossa Nova para MPB, a "pimentinha" ardente (brilhantemente interpretada por Andréia Horta), que viveu uma vida turbulenta. Ao mesmo tempo em que se chocava com a Ditadura Militar no Brasil, ela lutou com seus próprios demônios pessoais. “Elis”, o filme, está imbuído da alma da cantora e do país que ela amava.
 
 
 

Andreia Horta interpreta
a cantora Elis Regina.
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Um comentário:

Luiz Carlos Lemme disse...

Obrigado Alberto! Pelo trailer 'facinho', em primeira mão, com um só clique. É um prazer inenarrável rever um dos ídolos da minha geração, nos dramáticos anos de chumbo. Elis foi o grito que nos morreu nas gargantas; o canto que não pudemos cantar; o sonho de amor e liberdade que meus companheiros das escolas, das passeatas e das masmorras da ditadura nunca puderam realizar. Grato (de verdade poeta!) pois você, menino naquela época, fala de Elis, hoje, com a paixão que só a poesia permite. Ôba! Que venha o filme que a hora é essa! Antes que a intolerância nos emudeça de novo.