quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

GUIA DE LEITURA: 100 AUTORES QUE VOCÊ PRECISA LER. ORGANIZAÇÃO: LÉA MASINA.

 

 

 

Saiba o que você deve ler
 
 
O que ler, dentre tantas possibilidades que se apresentam na vida – demasiado curta para abranger toda a literatura clássica e os novos autores que surgem a cada dia?
 
Esta é uma questão que se coloca a todos os leitores. Guia de leitura: 100 autores que você precisa ler apresenta, de modo sucinto e claro, cem escritores que se destacam no ramo da ficção e que, através dos séculos, deixaram sua marca na imaginação humana. O leitor encontrará aqui um breve texto sobre a vida de cada um deles, uma relação dos títulos mais importantes por autor seguidos de um ensaio escrito por críticos literários, jornalistas, escritores e professores; pessoas, em suma, apaixonadas pela leitura.
 
Abrangendo narradores tanto estrangeiros como brasileiros, do século V (a.C.) da Grécia antiga ao século XX, o livro reúne os principais nomes do chamado cânone da literatura ocidental: homens e mulheres geniais que, quer por sua originalidade estilística, narrativa ou temática, atravessam o tempo, sendo lidos e relidos por aqueles que apreciam bons contadores de histórias.
 
Guia de leitura: 100 autores que você precisa ler se propõe a ser não uma lista exaustiva de escritores e obras, mas um valioso livro de referência, um companheiro para todos aqueles que se aventuram e se deleitam nos imprevisíveis e fascinantes caminhos que a literatura sempre está a inventar.
 
Este livro relaciona cem narradores cujas obras integram o chamado cânone da literatura ocidental. Referidas pela crítica e registradas em enciclopédias, dicionários, histórias da literatura e catálogos de editoras, elas fazem parte de um legado cultural comum a leitores capazes de apreciar mais do que a originalidade temática e a intriga: esse tipo de leitores valoriza também a urdidura dos textos e sua qualidade literária que resulta, quase sempre, em uma história bem contada.
 
O que torna uma obra canônica, além de sua legitimação institucional, é a consagração pelo tempo. Assim, à margem da tendência ora dominante de questionar o cânone literário institucionalizado, acredito que esta seleção será útil porque sugere boas e variadas leituras. Nela se incluem autores brasileiros e estrangeiros consagrados, dentro da proposta de um limite de até seis textos, selecionados como representativos da obra principal de cada autor. Nesse sentido, foi minha intenção atender às necessidades expressas por alunos universitários e amigos, incluindo títulos estrangeiros traduzidos para a língua portuguesa.
 
Vê-se, pois, que a relação das obras foi elaborada com critérios múltiplos, do gosto pessoal e da importância da obra para os estudos literários à sua inserção na memória da comunidade cultural em que se movimentam os leitores de hoje.
 
Léa Masina
 
 
 










Léa Masina
é escritora e professora.
 
 
 
 
 
 
Léa Masina - escritora.

 

Léa Sílvia dos Santos Masinapossui graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1968), mestrado em Letras pela UFRGS (1980) e doutorado em Letras pela mesma universidade (1998). Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Letras, com ênfase no trabalho com escritores, qualificação de originais e crítica literária, atuando principalmente nos seguintes temas: Alcides Maya, literatura brasileira, literatura comparada, literatura latino-americana e literatura sul-riograndense.
 
 
Pela L&PM, organizou o Guia de leitura: 100 autores que você precisa ler (2008). Também publicou: Uma questão de liberdade (IEL/Tchê, 1993); Percursos de leitura (IEL/Movimento, 1994); Alcides Maya: um sátiro na terra do Currupira (IEL/Unisinos, 1998); Textos críticos de Alcides Maya (Movimento/UFSM, 2004); A Geração de 30 no Rio Grande do Sul: literatura e artes plásticas (juntamente com Mirna Appel) (Editora da UFRGS, 2000); Literatura comparada e psicanálise (com Vera Cardoni) (Sagra Luzatto/Editora da UFRGS, 2002); A leitura partilhada (Movimento/UFSM, 2005).

 
 
 
 
 
 
 
APOIO CULTURAL
 
 
 
 


 

 
 
  
 
 
FONTE:
 
 
 

Nenhum comentário: