quarta-feira, 7 de junho de 2017

HISTORIADOR RONALD RAMINELLI FAZ NA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS A SEGUNDA PALESTRA DO CICLO DE CONFERÊNCIAS “CAPÍTULOS DE HISTÓRIA COLONIAL”, SOB COORDENAÇÃO DO ACADÊMICO EVALDO CABRAL DE MELLO.

  
 
 
 
A moderação é do Acadêmico e jornalista Zuenir Ventura. O tema da palestra será Nobrezas e principais da terra: a dinâmica das elites coloniais, com transmissão direta pelo portal da ABL.
 
O professor, historiador e cientista Ronald Raminelli faz, na Academia Brasileira de Letras, a segunda palestra do ciclo de conferências do mês de junho de 2017, intitulado Capítulos de História Colonial.
 
A coordenação será do Acadêmico e historiador Evaldo Cabral de Mello, e a moderação, do Acadêmico e jornalista Zuenir Ventura. O tema escolhido foi Nobrezas e principais da terra: a dinâmica das elites coloniais.
 
Serão fornecidos certificados de frequência.
 
De acordo com Ronald Raminelli, a palestra será, em resumo, um estudo sobre as classificações e hierarquias da nobreza na América Portuguesa entre os séculos XVII e XVIII:
 
 
 

 
 
 
Em princípio, diferencia-se a fidalguia da nobreza civil, os primeiros alçados à nobreza pelo sangue, e os demais por provimento régio. No ultramar, a nobreza criada pela monarquia era mais importante do que a herdada pela linhagem. Estão aí incluídos os cavaleiros das Ordens Militares, os foros de fidalgo e os homens bons das câmaras. Na América, uma terceira categoria deve ser incluída, os ‘principais da terra’ ou ‘nobreza da terra’, os potentados locais, senhores de terras e escravos e detentores de altas patentes militares nas tropas auxiliares e nas ordenanças. Vale mencionar, ainda, as justificações de nobreza e os brasões de armas pleiteados, sobretudo por militares que não tinham a sua nobreza respaldada pela linhagem”, adiantou o conferencista.
 
A Acadêmica e escritora Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL, é a Coordenadora-Geral dos ciclos de conferências deste ano.
 
Capítulos da História Colonial terá mais duas palestras, às terças-feiras, no mesmo local e horário, com os seguintes dias, conferencistas e temas, respectivamente:
 
dia 20, Luciano Figueiredo, As revoltas e resistências antifiscais no Brasil colônia; e 27, Heloisa Starling, Republicanismo no Brasil colonial.
 
 
Saiba mais:
 
 
 
 
Possui doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1994) e realizou estágios pós-doutorais na École des Hautes Etudes en Sciences Sociales – Paris (2002-2003) e na Unicamp (2011-2012).
 
Atualmente, é professor da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de história moderna, com ênfase em História do Brasil e da América, atuando principalmente no estudo das estratégias de ascensão social, da formação da nobreza ultramarina a partir dos serviços prestados à monarquia.
 
Explora também os mecanismos que impediam o acesso a privilégios, cargos e títulos, particularmente a impureza de sangue e os defeitos mecânicos. Os estudos analisam as variadas inserções à nobreza por intermédio dos cargos administrativos, habilitações às Ordens Militares, foro de fidalgo, brasões de armas e justificação de nobreza.
 
Os privilégios concedidos pelos monarcas ativavam a lealdade de seus vassalos ultramarinos, embora fossem inferiores aos concedidos à nobreza reinol.
 
 
 
Autor de 5 livros, 46 artigos de periódico e 29 capítulos de livro, publicados no Brasil, Portugal, Espanha, Estado Unidos, França, Argentina e Colômbia. Destaque para os livros: Imagens da Colonização (1996), Viagens Ultramarinas (2008) e Nobrezas do Novo Mundo (2015). Atualmente estuda os conflitos e abusos de jurisdição entre os donatários da Casa Asseca e os oficiais régios.   
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: