quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A CARTA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ÉTICA FOI DIVULGADA PELA ACADEMIA FLUMINENSE DE LETRAS. CONFIRA.

 
A Academia Fluminense de Letras divulgou na última terça-feira, 15 de agosto, o texto da CARTA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ÉTICA DE NITERÓI, resultante do I Congresso Brasileiro de Academias de Letras, promovido em parceria com a Secretaria de Cultura de Niterói e a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal Fluminense nos dias 20 a 22 de julho.
 
 
Jornalistas Carlos Ruas e Ernesto Guadalupe,  acadêmicos Maria do Carmo Cordeiro, José Haddad,  Waldenir de Bragança, Márcia Pessanha, Matilde Conti e Alba Corrêa, jornalistas Odimar Brito e acadêmico e jornalista Erthal Rocha exibem a CARTA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ÉTICA DE NITERÓI.
 

 
O representante do Ministério da Cultura José Haddad, o presidente da Academia Fluminense de Letras Waldenir de Bragança, o vereador João Gustavo e as acadêmicas Márcia Pessanha e Maria do Carmo Cordeiro.
 

Jornalista Odimar Brito, acadêmicos Erthal Rocha, Alba Corrêa, Matilde Carone Slaibi Conti, José Haddad, Waldenir de Bragança, Márcia Maria de Jesus Pessanha e Maria do Carmo Cordeiro, jornalista Ernesto Guadalupe.
 
 


 
 
O documento reúne sugestões e propostas, fruto da experiência dos congressistas - autoridades, professores, estudantes, profissionais e luminares das áreas de Educação e Cultura, além de representantes de Academias de Letras municipais e estaduais, no esforço para a criação de um novo tempo no movimento cultural.

Entre as principais recomendações estão: 

- Intensificar a Campanha para que a Língua Portuguesa se torne oficial na Organização das Nações Unidas, uma vez que trata-se do 4º idioma mais falado no mundo, presente em todos os continentes, aproveitando o ensejo de estar na secretaria-geral da ONU o português Antonio Guterres; 

- Incentivo, fomento e apoio dos órgãos públicos nos três níveis de Governo às Academias de Letras nas capitais dos estados e nas cidades a fim de fortalecer o movimento cultural; 

- Inserção na formação educacional de todos os níveis, do ensino de Ética e Moral, para criação de uma consciência ética, essencial na formação da cidadania; 

- Implantação de comissões de Ética nos estabelecimentos de ensino dos mais variados níveis e modalidades, com a participação de professores, alunos e pais; 

- Promoção de estratégia para mais dignificar a figura do Professor em sua missão fundamental para o desenvolvimento sociocultural do Brasil;

- Incentivo aos livros e à leitura como instrumento insubstituível para a cultura ética, a educação, o saber transformador de vidas;

- Utilização dos veículos de comunicação das cidades do interior na publicidade oficial dos órgãos públicos, contribuindo para a democratização dos meios de comunicação.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fotos (Divulgação - Deborah Eltz / Proex UFF)
 
 
 




 
APOIO NA DIVULGAÇÃO

 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 

 

Nenhum comentário: