terça-feira, 22 de julho de 2014

CONVITE SOLENIDADE ENTREGA MEDALHA JOSÉ CÂNDIDO CARVALHO RECEBA O SEU...


 
CONVITE ESPECIAL
Caro amigos, escritores, poetas, jornalistas, professores, personalidades culturais de nossa cidade, vocês estão convidados para dia 4 de agosto de 2014, às 18 horas, a Sessão Solene no Plenário Brígido Tinoco da Câmara Municipal de Niterói, ocasião em que os vereadores Bruno Lessa, Paulo Eduardo Gomes, Tânia Rodrigues, Henrique Vieira, Leonardo Giordano
Concederão a Medalha José Candido de Carvalho às personalidades ligadas ao movimento cultural da cidade, dentre eles estão:
 
 
1-Alba Helena Correia, 2-Alberto Araújo, 3-Belvedere Bruno,4-Bruno Rangel Pessanha, 5-Claudia Cataldi, 6-Dionilce Faria, 7-Eneida Fortuna, 8-Gracinda Rosa, 9-Jorge Gandra Mendes, 10-Luiz Calheiros Cruz.
 
Ficaremos felizes com suas presenças,
neste momento único e tão especial em nossas vidas.
 
Vamos brindar juntos!




José Cândido de Carvalho - escritor e jornalista


QUEM FOI JOSÉ CÂNDIDO DE CARVALHO.

Resumo Biográfico

José Cândido de Carvalho, jornalista, contista e romancista, nasceu em Campos, RJ, em 5 de agosto [mas só registrado em 15 de agosto] de 1914, e faleceu em Niterói, RJ, em 1º de agosto de 1989. Eleito em 23 de maio de 1973 para a Cadeira número 31, sucedendo a Cassiano Ricardo, foi recebido em 10 de setembro de 1974 pelo acadêmico Herberto Sales.
Filho de Bonifácio de Carvalho e Maria Cândido de Carvalho, vindos de Trás-os-Montes, norte de Portugal, se fixaram em Campos de Goytacazes. Aos oito anos, por doença do pai, veio morar algum tempo no Rio de Janeiro, quando trabalhou, como estafeta, na Exposição Internacional de 1922. Desses tempos fabulosos da história do mundo, os alegres anos 20, o menino guardou lembranças inesquecíveis. Logo voltou a Campos, onde continuou a estudar em escolas públicas. Nas férias trabalhava como ajudante de farmacêutico, cobrador de uma firma de aguardente e trabalhador de uma refinação de açúcar.
Ao anunciar-se a Revolução de 30, José Cândido trocou o comércio pelo jornal. Iniciou a atividade de jornalista na revisão de O Liberal. Entre 1930 e 1939, exerceu funções de redator e colaborador em diversos periódicos de Campos, como a Folha do Comércio e O Dia, onde passou a comentar a política internacional, e ainda a Gazeta do Povo e o Monitor Campista. Admirador de Rachel de Queiroz e José Lins do Rego - começou a escrever, em 1936, o romance Olha para o céu, Frederico! - publicado em 1939, pela Vecchi, na coleção “Novos Autores Brasileiros”. Concluiu seus preparatórios no Liceu de Humanidades de Campos e veio conquistar o diploma de bacharel em Direito, em 1937, pela Faculdade em Direito do Rio de Janeiro.
Passou a morar no Rio, em Santa Teresa, entrando para a redação de A Noite, um jornal de quatro edições diárias. Como funcionário público, conseguiu um cargo de redator no Departamento Nacional do Café, mas ali ficou por pouco tempo. Em 1942, Amaral Peixoto, então interventor no Estado do Rio, convidou-o para trabalhar em Niterói, onde vai dirigir O Estado, um dos grandes diários fluminenses, e onde passa a residir. Com o desaparecimento de A Noite, em 1957, vai chefiar o copidesque de O Cruzeiro e dirigir, substituindo Odylo Costa, filho, a edição internacional dessa importante revista.
Somente 25 anos depois de ter publicado o primeiro romance, José Cândido publica, em 1964, pela Empresa Editora de “O Cruzeiro”, o romance O coronel e o lobisomem, uma das obras-primas da ficção brasileira, que teve imediatamente grande sucesso. A segunda edição saiu também pela empresa de “O Cruzeiro”. A partir de 1970, a Editora José Olympio passou a reeditar o romance, que em 1996 atingiu a 41ª edição. Não demorou a ser publicado também em Portugal e ser traduzido para o francês e o espanhol. Obteve o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, o Prêmio Coelho Neto, da Academia Brasileira, e o Prêmio Luísa Cláudio de Sousa, do PEN Clube do Brasil.

Em 1970, José Cândido de Carvalho foi diretor da Rádio Roquette Pinto, onde se manteve até 1974, quando assumiu a direção do Serviço de Radiodifusão Educativa do MEC. Em 1975, foi eleito presidente do Conselho Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. De 1976 a 1981, foi presidente da Fundação Nacional de Arte (Funarte), cargo para o qual foi convidado por uma de suas maiores admirações políticas, o ministro Nei Braga. De 1982 a 1983 foi presidente do Instituto Municipal de Cultura do Rio de Janeiro (Rioarte). Estava escrevendo um novo romance, O rei Baltazar, que ficou inacabado.
Além do grande romance que o inscreveu na literatura brasileira como um autor singular, José Cândido publicou dois livros de “Contados, astuciados, sucedidos e acontecidos do povinho do Brasil” e reuniu, em Ninguém mata o arco-íris, uma série de retratos jornalísticos. Sua obra de ficcionista é das mais originais, graças à linguagem pitoresca e aos personagens ora picarescos, ora populares, extraídos do “povinho do Brasil”.

Obras:
Olha para o céu, Frederico! - romance (1939);
O coronel e o lobisomem, romance (1964);
Porque Lulu Bergantim não atravessou o Rubicon, Contados, astuciados… (1971);

Um ninho de mafagafos cheio de mafagafinhos, Contados, astuciados... (1972);
Ninguém mata o arco-íris, crônicas (1972);

Manequinho e o anjo de procissão, contos (1974).


DADOS TÉCNICOS:


Título: Medalha Escritor José Cândido de Carvalho
Projeto: Projeto Legislativo nº 209 de 1989
Autoria: Vereador Elmo Jasbick

Criação: nº 1909/1990 (Publicada em 07 de julho de 1990)

Data oficial da entrega: dia 1 de agosto

 

Títulos Medalhas


CONCESSÃO DE TÍTULOS E MEDALHAS
REGIMENTO INTERNO DA
CÂMARA MUNICIPAL DE NITERÓI

Resolução nº. 2256/01


TÍTULO XII

DA CONCESSÃO DE TÍTULOS HONORÍFICOS
SEÇÃO I
DOS TÍTULOS DE CIDADÃO BENEMÉRITO E DE
CIDADÃO HONORÁRIO


Art. 290 – O projeto de decreto legislativo destinado à concessão de títulos honoríficos pela Câmara Municipal deverá ser aprovado por, no mínimo, dois terços dos seus membros.

Parágrafo 1º – São títulos honoríficos da Câmara Municipal:

I – Cidadão Benemérito, destinado aos naturais do Município;
II – Cidadão Honorário, destinado aos naturais de outras Cidades, Estados ou Países.

Parágrafo 2º – Os títulos honoríficos serão concedidos a pessoas que tenham reconhecidamente prestado serviços ao Município, ao Estado, à União, à democracia ou à causa da Humanidade.
Parágrafo 3º – O projeto será acompanhado de:
I – biografia circunstanciada da pessoa que se deseja homenagear;
II – anuência por escrito do homenageado, exceto no caso de personalidades estrangeiras.
Parágrafo 4º – É vedada a concessão de títulos honoríficos a pessoas no exercício de mandato eletivo, de cargos executivos por nomeação na Administração direta ou indireta da União, Estado ou Município ou cargo de comando militar.

Parágrafo 5º – Em cada período Legislativo, o vereador poderá figurar como autor de, no máximo dois títulos de Cidadão Honorário e dois de Cidadão Benemérito.
Parágrafo 6º – Para discutir projeto de concessão de título honorífico, cada vereador disporá de quinze minutos, com apartes.
Art. 291 – A entrega dos Títulos Honoríficos será efetuada anualmente, em Sssão Solene, na sede da Câmara Municipal, em reunião plenária, realizada no dia 22 de novembro, quando se comemora a fundação da cidade.
Art. 292 – Os títulos e medalhas serão concedidos sob a forma de Decreto Legislativo, podendo se comemora fundação da cidade.

SEÇÃO II
DAS MEDALHAS

Art. 293 – A Medalha José Clemente Pereira será concedida nos termos da Resolução 1082/81 de 25/05/81.
Parágrafo único – A entrega da Medalha José Clemente Pereira dar-se-á em Sessão Solene, na Câmara Municipal, no dia 22 de novembro, quando se comemora a fundação da cidade.
Art. 294 – A Medalha Felisberto de Carvalho será concedida nos termos da Resolução 1728/88 de 15/10/88.
Parágrafo 1º – A entrega da medalha será feita no dia 15 de outubro, dia do Professor.
Parágrafo 2º – Em caso de impedimento desta data a entrega dar-se-á na semana que antecede.
Art. 295 – A Medalha Escritor José Candido de Carvalho será concedida nos termos da Resolução 1909/90 de 07/07/90.
Parágrafo único – A entrega da medalha será feita anualmente em Sessão Solene no dia 01/08.
Resolução 3011/08,
Publicada no Diário Oficial em 11 de abril de 2008

 

3 comentários:

WANDERLINO T. NETTO disse...

Parabéns a todos os agraciados.

Abç.

Wanderlino

Maria do Carmo A. Borges disse...

Prezado Confrade Alberto Araújo


Agradeço pelo convite e, aproveito o ensejo, para

parabenizá-lo pelo recebimento dessa honraria!


Profª.Dra. Maria do Carmo de A. Borges

(1ª Vice Presidente do IHGN)

Prof. Cunha e Silva Filho disse...

Prezado conterrâneo Alberto Araújo:

Mais uma vez, o confrade é laureado, junto a outras figuras de relevo da cultura niteroiense, com outro prêmio, desta vez a Medalha 'José Cândido de Carvalho", concedida pela Câmara Municipal de Niterói, RJ.Para o Piauí, é uma honra de um filho da terra que já é vitorioso no Rio de Janeiro, sobretudo na bela cidade de Niterói.

Meus efusivos parabéns, Alberto.

Do amº e admor. sempre às ordens,

Cunha e Silva Filho