segunda-feira, 16 de julho de 2018

CURTA SOLAR TERÁ A EXIBIÇÃO DE SEIS FILMES BRASILEIROS.

O Solar do Jambeiro promove a 12ª Edição do projeto “Curta Solar”, quinta-feira, 19 de julho de 2018, a partir das 19h. Serão exibidos seis curtas-metragens selecionados por meio de edital que contou com a participação de 174 filmes de todo o Brasil. A entrada é gratuita e a classificação etária, livre.
 
FILMES QUE SERÃO EXIBIDOS:
 
 
 
 
 
MÃE, ACORDA A VOVÓ (Goiânia-GO, 2017, 20')
 
 
Produzido por Lwmuus e Kam Filmes e dirigido pelo goiano Cássio Domingos, "Mãe, Acorda a Vovó" aborda a história de José, um garoto de 9 anos que não consegue chegar a tempo para o velório de sua avó materna, que o criou. Agora, José terá que lidar com a dor de sua ausência em tempos de crise. Com fotografia de Diego D'ascheri e Marcelo Kamenach, o filme recebeu uma Menção Honrosa no IV Favera (Festival Audiovisual Vera Cruz). No elenco, Joseph Rodrigues.
 
 
 
 
 
 
NOME PROVISÓRIO (Santos-SP, 2017, 20')
 
Dirigido por Bruno Arrivabene e Victor Alencar, "Nome Provisório" conta a história de Renata que aguarda a chegada de uma amiga em um restaurante. Renata acaba por se encontrar com uma família em festa pela gravidez de um casal. A descoberta do sexo do bebê traz à tona uma importante reflexão. A trama retrata a expectativa familiar sobre um individuo e suas consequências. No elenco, Glamour Garcia (melhor atriz do 2° Festival de Cinema do Paranoá-DF), Antoniela Lourenço, Priscila Ribeiro, Raquel Rollo e Toni Oliveira.
 
 
 
BLAXPLOITATION - A RAINHA NEGRA
(Goiânia-GO, 2014, 21')
 
Dirigido por Edem Ortegal, "Blaxploitation - A Rainha Negra" traz a história da policial nerd Eva Brown e sua esposa, a cinéfila Juliana, que descobrem que um poderoso coronel do estado está envolvido em um monstruoso, crime que poderá destruir sua carreira. Após caírem no primeiro round da luta, as meninas mais malvadas da cidade voltam para provar que a vingança é tão doce como jujubas e tão divertida e explosiva quanto o cinema de ação. Com fotografia de Emerson Maia, o filme tem no elenco, Antônio Zayek, Liomar Veloso, Mari Peixoto, Mariana Nunes e Norval Berbai.
 
 
 
 
 
AS PORTAS ESTÃO ABERTAS
(São Paulo-SP, 2015, 20')
 
 
Tendo na direção, Henrique Crise, "As Portas Estão Abertas" narra a trajetória de Rosa, uma boliviana que trabalha em uma oficina de costura clandestina em São Paulo, num regime de semiescravidão, enquanto sua filha a espera na Bolívia. O filme foi selecionado para o II Festival de Cine y Derechos Humanos de Madrid (2017), obteve uma Menção Honrosa na V Mostra de Curtmetratges per La Identitat, realizada em Barcelona. "As Portas Estão Abertas" tem no elenco, Sandy Molina, Urzula Arratia, Diego Villa Ramos, Paulo Pellegrini e Raul Arratia.
 
 
 
MARIAS
(Rio de Janeiro - RJ, 2017, 20')
 
 
 
 
Da proibição de usar uma roupa até o controle do que comer. Cinco histórias. Cinco mulheres que sofreram um relacionamento abusivo e quatro tiveram a coragem e a oportunidade de expor o que passaram por tanto tempo. Uma delas não teve essa chance e sua filha mais velha, Yasmin Dias, que presenciou todo seu sofrimento, conta tudo o que aconteceu no documentário "Marias". Depois de tantas, quem será a próxima vítima? No Festival Cine PE 2018, onde viu seu filme ser ovacionado, a diretora Yasmin Dias revelou emocionada que quis transformar sua dor em arte.
 
 
 
AVIÃOZINHO
(Juazeiro do Norte/CE, 2016, 05'43)
 
Produzida no Sertão do Cariri, na cidade de Juazeiro do Norte/CE, a animação Aviãozinho, dirigida por Antônio Jr., é uma fábula que tem como principal personagem, um jovem plebeu que decide trabalhar para os nobres, sem saber que isso iria lhe custar muito caro. A animação conta com os desenhistas Alisson Pereira Flor, Joseph Olegário e Carlene Cavalcante.
 
 
 
SERVIÇO
Curta Solar – com a exibição de 6 filmes
Data: 19 de julho, quinta-feira.
Horário: 19h
Classificação indicativa: livre
Local: Solar do Jambeiro
End: Rua Presidente Domiciano, 198,
Boa Viagem, Niterói
Tel: (21) 2109-2222
ENTRADA GRATUITA
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FONTE
Departamento de Imprensa SMC/FAN
Secretaria Municipal de Cultura - Niterói
Fundação de Arte de Niterói - FAN
 

sexta-feira, 13 de julho de 2018

CONCERTO ‘SONGS OF THE SOUL’ PELA PRIMEIRA VEZ NO BRASILEVENTO GRATUITO SERÁ NO TEATRO MUNICIPAL DE NITERÓI.

 
 
( CLICAR NA IMAGEM PARA ASSISTIR AO VÍDEO)
 



OU CLICAR NO LINK DO CANAL YOU TUBE

https://www.youtube.com/watch?v=qbWLM_gacS0
 

O concerto “Songs of the Soul” ou “Canções da Alma” será realizado pela primeira vez no Brasil, no dia 14 de julho, às 19h, no Teatro Municipal de Niterói. O evento, que já passou pelo Canadá, Europa, Ásia e Oceania, vai apresentar canções meditativas de Sri Chinmoy (1931-2007).

 
Cantores e instrumentistas internacionais como Agnikana’s Group, Shamita’s Strings, Pavaka, Kanala, Mandu & Visuddhi, e Paree’s International Group vão mostrar a força da música meditativa, tanto com instrumentos ocidentais (violoncelo, violão, harpa), assim como com orientais (harmônio indiano, erhu chinês, cítara).

O Songs of the Soul promete proporcionar uma viagem musical cheia de profundidade, que conecta o público com o poder e a vastidão da melodia de Sri Chinmoy. Melodia essa, já aclamada por gigantes musicais como Ravi Shankar, Leonard Bernstein e Quincy Jones.

“Nós não temos que aprender nenhuma linguagem em particular para nos comunicar com os outros, se pudermos tocar a música da alma. Essa está próxima da meditação, transporta a beleza, a fragrância do silêncio e a mensagem do mundo interior e dos mundos mais elevados”. (Sri Chinmoy)

As atrações:

Agnikana’s Group - Grupo feminino fundado por Agnikana Senkyrova, da República Tcheca, em 1997 e, que além de cantar, toca instrumentos como harmônio indiano, violão, flauta e santur. Sua performance é extremamente etérea e forte ao mesmo tempo, reunindo vozes angelicais e instrumentos acústicos.
O Agnikana’s Group participa do Songs of the Soul desde a primeira edição, em 2008, sendo sempre um ponto alto do concerto.

Shamita’s Strings - A musicista Shamita Achenbach-Konig vive em Viena, Áustria. Estudou violoncelo no Conservatório de Bregenz, na Universidade de Música Mozarteum, em Salzburg e no Conservatório de Viena, já tendo tocado na Orquestra Sinfônica de Viena.
Com o grupo vocal/instrumental Mountais Silence já realizou concertos nos EUA, Europa e Oriente. Shamita está no Guinness Book por tocar violoncelo por 24 horas seguidas.

Pavaka - Pavaka Ritchot toca violão e baixo e comanda um grupo vocal e instrumental com base em Montreal, Canadá. O músico apresenta melodias compostas pelo pacifista indiano Sri Chinmoy, dando a elas um arranjo mais ocidental. Pavaka, desde 2005, já tocou nos EUA, Canadá, Europa e Rússia.

Paree’s International Group - Grupo vocal feminino formado por Sri Chinnmoy há mais de 20 anos. Hoje, o grupo conta com mais de 70 participantes, de mais de 20 países diferentes.
A apresentação ‘a capella’ mostra a potencia das vozes angelicais das componentes do grupo, de forma pura e sublime.

Kanala – O músico Kanala Auer nasceu em Viena, Áustria. Filho de um maestro, foi absorvido pela música desde a infância. Toca guitarra acústica de 12 cordas, guitarra portuguesa e cítara. Como artesão hábil, licenciado pela Academia de Artes de Viena, ele vem modificando a sua cítara, dando a ela um som único.
A sua constante busca pela espiritualidade e grande talento musical, fizeram-no ocupar um lugar de destaque na música indiana e se tornar um virtuoso arranjador da música espiritual de Sri Chinmoy.

Mandu e Visuddhi – Casal e dupla musical, toca junto há muitos anos, interpretando músicas espirituais de Sri Chinmoy. Já se apresentaram pela Europa, EUA e Oriente.
Mandu começou a tocar harpa em Wels, na Áustria, e depois estudou na Universidade de Música Anton Bruckner, em Linz, também na Áustria. Músico consumado, Mundu se destaca no acordeom, guitarra, harpa, piano e violino, e em seu instrumento favorito, o erhu chinês.

Mandu estará acompanhado por sua esposa, Visuddhi, talentosa harpista.
A performance do casal é uma mistura de sons milenares, harminias clássicas e improvisações.


SERVIÇO:
Concerto ‘Songs of the Soul’
Data: 14 de julho de 2018
Horário: 19h
Classificação etária: Livre
Duração: 105 min
Capacidade: 380 lugares
Local: Teatro Municipal de Niterói
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói
Tel.: (21) 2620-1624
ENTRADA GRATUITA (Sujeito a lotação do Teatro)
 
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

FONTE
Assessoria de Imprensa – TMN
ASCOM Secretaria de Cultura/ FAN
 

quinta-feira, 12 de julho de 2018

NOITE DE CELEBRAÇÃO DO MAR E DA POESIA JORDÃO PABLO DE PÃO LANÇA "O MAR DO MEU VELHO", EM 25 DE JULHO DE 2018, A PARTIR DAS 17 HORAS, NO JAMBEIRO.

 
 
 
 
 

 
 

O escritor e produtor cultural Jordão Pablo de Pão lança seu livro O Mar do Meu Velho, no dia 25 de julho de 2018, quarta-feira, às 18h30min, no Solar do Jambeiro. A celebração inicia às 17 horas com a Posse de Jordão Pablo de Pão como Membro Titular da Academia Niteroiense de Letras. Imperdível!
 
Antologia de poemas e de contos curtos, a obra é inspirada nas leituras do autor sobre o mar e os registros orais de memórias sobre a vida de seu pai, pescador por mais de cinquenta anos. No mesmo dia, Jordão toma posse na Academia Niteroiense de Letras e recebe a medalha escritor José Cândido de Carvalho, da Câmara Municipal de Niterói.
 
 
 

 
 



Reconhecido pela democratização do acesso a eventos culturais, sobretudo ligados à literatura, Jordão Pablo de Pão há dez anos participa do cenário artístico niteroiense, inicialmente no Teatro Municipal João Caetano e, nos últimos anos, no Solar do Jambeiro. Participa de diversos grupos de leitura e de publicações literárias em Niterói, além de assinar a curadoria de projetos e de exposições que apresentam a história da cultura da Cidade Sorriso aos seus cidadãos. Em 2017, o escritor lançou seu primeiro trabalho individual, "Abre Caminhos", também pelo Armazém de Quinquilharias e Utopias.
 
 
 

 
 

 

"O Mar do Meu Velho" conta com quase oitenta páginas em que Jordão Pablo parte de seus estudos e de suas memórias sobre as narrativas feitas pelo seu pai para, com delicadeza e domínio da técnica de escrita, criar novos mitos, retomar narrativas do imaginário ocidental e recriar em enfoques afetivos as vivências de pescadores. "Falar sobre o mar é, para mim, muito orgânico. O meu velho Jordão, pai pescador que me deu de comer e de sonhar através das ondas desse gigante bravio, não apenas inseriu na minha vida hábitos educativos, mas me emprestou o amor que o guiou para os reinos míticos do oceano de pesca", ressalta o autor.
 
 
 
 

O leitor experienciará uma antologia de muitas formas e técnicas de escrita, privilegiando a fluidez do sentimento e o diálogo com muitos personagens que cercam nosso senso comum ou que formaram nossa herança cultural. De Iemanjá a Netuno, são revisitados mitos nossos de forma artística, e nunca com intenção documental. Ainda propõe e desconstrói mitos ao sabor de sua sensibilidade, mas seguindo sua já conhecida linha poética
 
Estabelecido o mar como espaço de convivência pacífica e de desafios de existir, como já se leu historicamente, o pescador passa a guiar a obra, unindo a infância de sujeito poético e protagonista, redimensionando as formas literárias: nesta publicação majoritariamente de poemas há um protagonista. Pescador que ergue tributo á sua amada, que prepara os insumos para a pesca, que vive diante dos olhos de quem lê: nascimento, constituição familiar e morte são temas que perpassam o trabalho. Este curso de mar, literariamente possível, deságua na saudade de filho pelo pai, após o registro do período de luto.




 

"Constitui um grande tributo aos trabalhadores do mar e à relação pai e filho, tão marginalizada e até irrelevada na sociedade atual. Como meu pai pontuou tão fortemente a minha individualidade, este é o meu agradecimento singelo a ele e, talvez, um grito de alerta a todos", diz o autor. Sua proposta literária é dialogar com a humanidade que irmana, colocando os afetos em primeiro plano a partir de uma experiência que poderia ser só do escritor, mas apresenta pontos em comum com tantos outros seres humanos.








Sua obra é formada, sobretudo, para a leitura apressada que se experiência no mundo contemporâneo. "Os poemas, contos e crônicas que escrevo não se interessam por barroquismos desnecessários, embora haja floreios onde o texto pede. O escrito vem, e ele é imperativo", revela. Além de produtor e escritor, Jordão Pablo de Pão atua como docente, criador de conteúdo para a internet e revisor, o que o auxilia na percepção dos contextos de criação e de recepção do texto. "Não se é escritor em uma caixinha, mas na vivência da rotina e das felizes insolitudes", diz. 



O lançamento será uma celebração aberta à recente posse de Jordão Pablo na Academia Niteroiense de Letras. Ingressar na Cadeira 13 não é uma coincidência para o escritor, já que considera este um número pessoal de boas histórias e tem no ator e dramaturgo João Caetano, Patrono da Cadeira, uma de suas grandes referências. Destaca, ainda, a grande honra que é ocupar a cadeira que já foi ocupada pelo escritor e estudioso do teatro Antônio Santacruz Lima, pelo compositor e escritor Jacy Pacheco e pelo historiador e jornalista Emmanuel de Bragança Macedo Soares. A recepção será feira pela Acadêmica Liane de Souza Arêas. A Academia, situada no cruzamento das Ruas São João e Visconde do Uruguai, no Centro, tem sessões às quartas-feiras às 17h normalmente, abertas ao público e gratuitas.


 
 
 
 

A trajetória de Jordão Pablo de Pão foi o argumento para aprovação de uma moção de aplausos e da medalha José Cândido de Carvalho, da Câmara Municipal de Niterói, que serão entregues no lançamento do livro. A medalha  é concedida por decreto legislativo a escritores, jornalistas e profissionais que tem na palavra a sua forma de expressão. Os agraciados com a condecoração têm expressiva atividade em defesa da cultura no cenário local. A proposição deste decreto é do vereador Leonardo Giordano. Também haverá microfone aberto para que os artistas apresentem seus trabalhos, ratificando o compromisso do escritor e produtor literário em aproximar as instituições literárias dos fazedores culturais. 
 
Para conhecer a obra do novo imortal, indica-se o blog 
 
 


 
 
 
 
 


SERVIÇO
Noite de Autógrafos do livro
"O Mar do Meu Velho",
de Jordão Pablo de Pão
Data: 25 de julho de 2018
Dia da Semana: Quarta-feira
Horário: das 18h30 às 21h
Local: Solar do Jambeiro |
Rua Presidente Domiciano, 195,
Boa Viagem, Niterói, RJ
Responsável: Jordão Pablo de Pão
Contato: 21 98124-7937
Ingresso: Gratuito
Classificação Etária: Livre
Editora: Armazém de Quinquilharias e Utopias
Preço do Livro: R$20,00
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 



 

terça-feira, 10 de julho de 2018

MARCOS HASSELMANN FAZ TRIBUTO A FRANK SINATRA NO MUNICIPAL.

 
 
 

 
 
 
 Marcos Hasselmann, acompanhado pela Sampa Combo Band, faz uma homenagem a um dos maiores cantores norte-americanos de todos os tempos, Frank Sinatra, no dia 19 de julho, quinta-feira, às 19h, no Teatro Municipal de Niterói.
 
 
 
 


 
 
O espetáculo intitulado “Sinatra 100 anos” vai relembrar grandes sucessos do artista, desde o seu começo como crooner da Big Band de Tommy Dorsey, passando pelos musicais, televisão e por clássicos do cinema de Hollywood. Entre os temas selecionados para o repertório estão “Fly Me to The Moon”, “Come Fly With Me”, “Cheek To Cheek”, “New York New York”, “My Way”, “Strangers In The Night”, e muitos outros.

Uma das figuras mais importante da música popular do século passado, Frank Sinatra surgiu para o mundo entre as décadas de 1930 e 1940, quando o rádio era dominado pelo swing. Mais tarde ajudaria a redefinir o que era cantar e com sua voz – “a voz”, segundo boa parte da crítica – manteve público fiel e garantiu sempre a chegada de novos ouvintes, mesmo quando a moda era o rock.
 
 
 
 
 
Do primeiro “número 1” alcançado nas paradas de sucesso ainda na década de 1940, até os milhões de discos vendidos na segunda metade dos anos 90, Sinatra foi o verdadeiro rei da música popular dos Estados Unidos. Com ele, composições de Irving Berlin, George Gershwin e Cole Porter ganharam roupagem de sucesso. Sinatra veio ao Brasil em Janeiro de 1980 para um show memorável no Estádio do Maracanã com recorde absoluto de público até hoje (175 mil pessoas). Sinatra se aposentou somente aos 80 anos, em 1995. Morreria três anos mais tarde, em decorrência de um ataque cardíaco.
A voz e a interpretação marcantes de Marcos Hasselmann e a sonoridade da Sampa Combo Band vão reviver momentos áureos do cantor no palco do Municipal de Niterói, num show para cantar e se emocionar.
 
 

 

SERVIÇO:

Tributo a Frank Sinatra no Municipal de Niterói

Com Marcos Hasselmann e Sampa Combo Band

Data: 19 de julho

Horário: 19h

Classificação etária: livre

Duração: 80 min

Capacidade: 390 lugares

Ingresso: R$ 40 (inteira)

 

Local: Teatro Municipal de Niterói

Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói-RJ

Tel.: (21) 2620-1624

 

Horário de funcionamento da bilheteria:

• Ingressos antecipados: terça a sexta, das 10h às 18h.

sábados, domingos e feriados, das 15h às 18h (se houver teatro Infantil, das 17h às 18h).

• Ingressos para o espetáculo do dia: das 10h até o início do mesmo.

• A bilheteria fecha para almoço das 13h às 14h.  

Vendas online pelo site Ingresso Rápido:

 
 
 

 APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

FONTE
Assessoria de Imprensa – TMN
ASCOM Secretaria de Cultura/ FAN