sexta-feira, 19 de abril de 2013

XVII RECITAL DA TERCEIRA IDADE DE MÚSICA E POESIA DO CENTRO CULTURAL MARIA SABINA COORDENAÇÃO NEIDE BARROS RÊGO. CONFIRA.

 
CENTRO CULTURAL MARIA SABINA
 
(FUNDADO EM 24 DE JUNHO DE 1961)
 
 
 
 
COORDENADORA: NEIDE BARROS RÊGO
 
 
APRESENTA
 
(ASSISTA AO VÍDEO PRODUZIDO PELO FOCUS - PORTAL CULTURAL)
 
BASTA CLICAR NA IMAGEM
 
 


OU SE PREFERIR DOIS CLIQUES E ASSISTA NO CANAL
 
YOU TUBE DO FOCUS
 

 
 
Poesias de diversos autores
 
Ana Regina Seixas  - As letras, de Fagundes Varella
 
Aparecida Barreto da Silva - Metade, de Ferreira Gullar

Graça Eliana Thuler -  Caminhos, de Maria Sabina

Juber Baesso  -  Eterna mania, de Lili Leitão  

Maria Otília Camillo - Oração do poeta, de Aparício Fernandes
 
Nilde Barros Diuana - Tua voz, de Luís Antônio Pimentel
 

Ruth de Almeida Pessanha  - Rua das Rimas, de Guilherme de Almeida
 
Walmir Ventura Rêgo (Hors concours)  - Vida de casado, de Pompílio Diniz
 
Zeneida Seixas  -  A origem da mulher, de autor ignorado

Juber Baesso e Graça Thuler - A lagoa, de Catulo da Paixão Cearense
 

Gracinha Rego  -  Gracias a la vida, de Violeta Parra
 
 
 
Poesias interpretadas pelas autoras
 
 

Carmen Brasil  - Viva idoso
 
Diva Ribeiro (Hors concours)   - Interrogação

 Mariney Klecz - Mulher

  Marly Prates -  Viagem

 
 
Músicas de diversos autores
 

Leda Mendes Jorge -  Feira de Mangaio, de Sivuca


Neide Barros Rêgo  - Canta
De España vengo (Zarzuela – El niño judío), de Pablo Luna
 
Therezinha de Maria Pinto (piano)  -  Valsa da dor, de Villa-Lobos








Alberto Araújo - editor do FOCUS
com o artista homenageado
DULCYDIDES DE OLIVEIRA PINTO

Nilde Barros Diuana com o homenageado



Nilde Barros registrou tudo...
 
 
HOMENAGEADO
 
 
DULCYDIDES DE OLIVEIRA PINTO

 
Iniciou os estudos de canto com Jorge James (Conservatório Brasileiro de Música).Estudou com Elizabeth Esberard, Alice Ribeiro e Walmoré Fernandes.  O maestro José Siqueira ofereceu ao talentoso barítono uma bolsa de estudos na Europa. Canta em português, espanhol, italiano, inglês e esperanto, sempre acompanhado pela pianista Therezinha de Maria Carvalho Pinto.
Apresentou-se:
 
Abrigo Amor ao Próximo
Academia Fluminense de Letras
Associação Aliança dos Cegos
Associação Atlética Banco do Brasil - Niterói
Associação dos Professores Inativos – ASPI - UFF
Ateneu Angrense de Letras e Artes
Biblioteca Pública de Niterói
Casa da Cilda
Centro Espírita Cristófilos – Rio de Janeiro
Centro Espírita Irmã Scheilla
Centro Lassalista de Estudos – CELAE
Centro Cultural Maria Sabina
Clínica Geriátrica João Miranda
Conservatório de Música de Niterói
Cooperativa Cultural dos Esperantistas – KKE
Fazenda Mont Vernon –  Cantagalo
Fundação Cultural Avatar
Fundação Municipal de Educação
Instituto Espírita Bezerra de Menezes – IEBM
Parthenon Centro de Arte e Cultura
Solar do Jambeiro
Teatro da UFF
Teatro Municipal de Niterói
UPPE-Sindicato
e outras instituições de caridade,
clínicas, clubes  e residências.    


 
PERFIL DE DULCYDIDES DE OLIVEIRA PINTO,  POR SEU FILHO
LEANDRO CARVALHO PINTO
Lido por Gracinha Rêgo
 
"Refletir uma vida em poucas linhas para nós é um imenso desafio. A situação é ainda mais impactante por se tratar da pessoa, do ser humano iluminado e grandioso que ao longo de mais de oito décadas desfilou seu vasto repertório de piadas, seu sorriso largo e sua simpatia pelos quatro cantos deste mundo.
Em seu olhar fulminante (e que olhar!) do fundo de seus olhos azuis, viajamos agora pelos céus e mares  nunca antes navegados; lembramos-nos da história daquele menino pobre nascido em Cantagalo, morador de Jaguarembé, pequena cidade do Norte Fluminense.
Naquele tempo, não... não se tinha Internet, celulares, telefone... Pra falar a verdade, naquela casa, mal se tinha um banheiro! Que o diga o rio Paraíba do Sul!!! Uma casa muito habitada, com quase vinte pessoas, onde seu Manoel cuidava com dona Gercilda, da criação de 14 crianças dos 16 filhos gerados por esse amor. Tempos onde o angu era o almoço, o lanche, o jantar e, às vezes, o café da manhã! Tempos onde tudo poderia faltar menos o amor. Naquele lar, a união, os princípios familiares e a criação com base nos ensinamentos, divinos proliferavam e norteavam a vida de um jovem sonhador: Dulcydides – uma criança que ficava muito brava quando o chamavam de barata descascada e chorava piamente. Do sonho à realidade, muito trabalho cerceou a sua vida. Trabalhava em Campos de manhã para estudar a noite no colégio e tinha uma vida de luta, suor e sacrifício. O tempo o recompensou ao conhecer o grande amor de sua vida: a doce Therezinha – um amor eterno que perdura há mais de 50 anos e que fez frutos: quatro filhos: Gecilda, Scheilla, Leonardo e Leandro. Destes, os netos: Tiago, Thaís, Carina, Raphael, Marscelle, Gabrielle, João Leandro e Igor e ufa!!!! Os primeiros bisnetos: Cauã e Nina.
Viver ao lado de Dulcydides é tarefa para poucos. Perfeccionista, detalhista, perseverante, obstinado e durão,  Sr.  Oliveira criou seus filhos  com muito amor e carinho, sendo respeitado e amado por todos.
 Dono de uma potente voz, Dulcydides encanta pela sua simplicidade ao cantar e impressiona com o timbre potente e afinado que tão bem soam aos nossos tímpanos.
 Da sua vida ao lado da pianista Therezinha surgiu mais do que um dueto afinado, um casal que transborda carinho e simpatia, que conquista amigos e familiares diariamente.
Através da palavra, Dulcydides ganhou sua vida como representante comercial, industrial, comerciário e pessoa de bem, cumpridora de seus direitos e deveres.
 Como pai, amoroso, ensinou aos filhos os mandamentos do nosso Pai maior: Jesus, e mostrou os caminhos de luz e amor para que todos pudessem seguir.
 Em mais de 80 anos, Dulcydides agrega, familiares, amigos, irmãos, filhos e filhas em uma vida regrada, simples e de muito esforço e sacrifício. Uma jornada inesquecível para todos que têm o orgulho de estar ao seu lado, de conviver com essa figura, em amar esse ser humano bondoso, cuja retidão de caráter se mostra tão à tona e a honestidade se faz presente no seu dia-a-dia.
Hoje, nesta data 13 de abril de 2013, tão especial, em que homenageamos uma pessoa tão iluminada, muito nos recordamos do abraço afetuoso, das broncas no tempo de escola, dos cultos em casa às terças-feiras, dos almoços em família aos domingos, da expectativa em voltar do colégio e correr para os braços do nosso pai, mas assim mesmo falando em alto e bom som: o nosso pai, do qual sempre nos orgulhamos! Muito nos lembramos das reuniões de música com as quais aprendemos a conviver e fomos criados, das festas de toda família, da parceria mágica com seu melhor amigo, companheiro de todas as épocas e irmão verdadeiro, o tio Shirley.
Mas, o que fica mais latente na nossa memória e na de todos que o conhecem é aquele olhar afetuoso, o ombro amigo e as mensagens de luz e paz que ele passa a todos que o cercam.
Temos a impressão de que o amor de Dulcydides e Therezinha vai um dia sair da vida e estrelar um filme de Hollywood, cujas cenas sempre ficarão eternizadas em nossas mentes e memórias, como um filme que passa em nossa cabeça, cujo começo se deu em 1958 e nos passa a impressão de que o fim será, apenas e realmente, sabemos disso, um novo começo!
Pai, amigo, marido, irmão, companheiro... receba de nós a homenagem, aqui, de um amor verdadeiro"
 

 
 
 

3 comentários:

Gracinha Rego - Poetisa disse...

Querido Alberto!



Parabéns pelo seu trabalho!!! O nosso recital ficou enriquecido com o toque das imagens do seu conceituado e maravilhoso blog Focus Portal.

Muito obrigada pelo envio. Ficou uma beleza!!!

Um abraço pra vc e sua esposa,

Gracinha Rego


NEIDE BARROS - Coordenadora do CCMS disse...

Parabéns, Alberto.



Imagino quantas horas você consumiu fazendo este trabalho. Ficou ótimo. Se houve alguma falha, foi nossa.

Estou certa de que os participantes (os declamadores, a pianista, as cantoras) e o barítono homenageado ficarão muito felizes.

Eu estou muito feliz.

Muito obrigada por tudo.

Avante!

Niterói agradece.



Neide Barros Rêgo

Nilza disse...

Gostaria de ter acesso aos textos!