quarta-feira, 8 de março de 2017

EXPOSIÇÃO "A ESPERA IMANENTE", DE RAFAEL MATOS, COM CURADORIA DE DESIRÉE MONJARDIM ESTÁ EM CARTAZ, NA SALA JOSÉ CÂNDIDO.

 

Rafael Matos - artista visual.

 
 
 

“A Espera Imanente”, de Rafael Matos.
 
 
 
 
 
 
O artista visual Rafael Matos está em cartaz com a exposição “A Espera Imanente”, na Sala José Cândido de Carvalho, no Ingá, até o dia 10 de abril. Com curadoria da pintora Desirée Monjardim, a mostra, primeira individual de Rafael, é exemplo de como a arte pode superar desafios e traz 17 desenhos do artista feitos com carvão ou pastel seco.
 
 
 
 
 
 
 
 
Diagnosticado com esquizofrenia, Matos encontrou na pintura a força para enfrentar o dia a dia. Há mais de 10 anos, paciente do Hospital Psiquiátrico de Jurujuba (HPJ), em Niterói, o autor faz da arte a sua terapia.
 
O desenho tomou tamanha proporção que já não há separação entre eu e a pintura. Não consigo me imaginar sem a arte”, diz o Rafael.
 
Os desenhos do artista trazem figuras humanas, cachorros e cavalos, além de muitos momentos do seu cotidiano.
 
 
 
 
 
 
Meu primeiro desenho no hospital foi outro paciente. Depois comecei a perceber a bonita relação entre os médicos e pacientes que conviviam comigo e isso me inspirava”, conta Rafael, que, ao som de música clássica, deixa a imaginação fluir.
 
De acordo com a professora de Semiótica da UFRJ, Rosana Ramalho, a arte de Rafael apresenta figuras que interagem e, em alguns casos, se superpõem.
 
A qualidade dos desenhos é inegável. No entanto, o que mais impressiona são os sentimentos e as expressões de suas inquietações, que sobrepujam o traço”, ressalta Ramalho.
 
O amor pela arte surgiu quando criança. Aos cinco anos, foi incentivado pelo tio, também artista, a seguir o caminho. Enquanto o tio esculpia rostos em madeira, Rafael tentava reproduzir o mesmo nas telas. Morando na casa dos avós, ele copiava os quadros pendurados na parede.
 
 
 
 
 
 
Rafael frequentou ainda ateliers de renomados artistas, durante um período. Depois, aprofundou seu desenho na arte da animação, ouvindo aulas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
 
Com a morte dos avós e a venda da casa, Rafael passou a dormir nas ruas e foi com a ajuda da arte, vendendo alguns de seus quadros, que ele conseguiu sobreviver.
 
Assim que chegou ao HPJ, psicólogos e outros profissionais perceberam a afinidade de Rafael com a arte. O estímulo surgiu com alguns frascos de tinta dados a ele. A partir daí, observar a história de outros colegas que viviam naquele espaço se tornou sua inspiração.
 
 
 
 
 
 
 
SERVIÇO
Exposição:
A Espera Imanente, de Rafael Matos.
Curadoria: Desirée MONJARDIM. 
Visitação: Até 10 de abril, de 2ª a 6ª, das 9h às 17h. 
Local: Sala José Cândido de Carvalho. 
Endereço: Rua Presidente Pedreira, 98 - Ingá,
Niterói - RJ - Brasil.
Telefone: (21) 2621-5050.
Classificação etária: Livre.
Entrada franca.
 
 
 
 ******************************
 
 
 
 
 
APOIO CULTURAL
 
 
 
ASCOM SMC/FAN.
(21) 9659-01234.
Secretaria Municipal de Cultura - Niterói.Fundação de Arte de Niterói - FAN.
Rua Presidente Pedreira, 98, Ingá,
Niterói - RJ - Brasil.





APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 







(Fotos – crédito: Leo Zulluh).





 

Um comentário:

Luiz Carlos Lemme disse...

Da vida nas ruas ao Salão da Fundação de Arte de Niterói, Rafael Matos é a demonstração inegável da função da arte na edificação da cidadania e, principalmente, na reconstrução da dignidade dos indivíduos.
Ao elaborar suas peças com desenhos de rara beleza e imagens do inconsciente, o jovem desenhista afirma-se entre os artistas de sua época, comunicando-se com o mundo de cabeça erguida e com a auto-confiança dos criadores.
Um pensamento nos sugere a trajetória de Rafael: "A ARTE É A PROVA DE QUE A VIDA SÓ NÃO BASTA", condensando uma reflexão de Picasso ao definir o papel da criação artística na sociedade humana.