segunda-feira, 27 de março de 2017

O HUMANISTA JULIO CEZAR VANNI: 90 ANOS DO NASCIMENTO E 3 ANOS DO ENCANTAMENTO. HOMENAGEM DO FOCUS PORTAL CULTURAL.

 

 
 
HOMENAGEM AO ESCRITOR, HISTORIADOR,
ACADÊMICO JULIO CEZAR VANNI.
 
Neste dia 27 de março,  o Focus Portal Cultural é tomado por grande emoção, verdadeira exultação por homenagear o escritor e acadêmico Julio Cezar Vanni pelos 90 anos do nascimento e os 3 anos do encantamento. Esse intelectual era "linkado" às origens historiográficas de forma irrevogável.
 
 
Companheiro muito querido por todos os acadêmicos, ao partir deste mundo, era presidente do Cenáculo Fluminense de História e Letras, e se vivo estivesse, em 25 de março, completaria 90 anos. É curioso e  importante noticiar que março foi o mês que o trouxe e levou esse nobre intelectual, nascido em 25 de março de 1927 e falecido em 27 de março de 2014.
 
 
Escritor Julio Cezar Vanni
em reunião no Cenáculo Fluminense de História e Letras.
Foto: acervo do Focus.
 
 
A denominação de Julio, desde o berço, emitiu sinais de que viria a ser a pessoa brilhante, de memória prodigiosa, organizado e com dinamismo contagiante. Aquele homem, que tinha a cara de italiano fidalgo, mas de jeito bem humanista dos brasileiros, foi predestinado a criar uma obra que implantaria raízes no mundo da sua gente. Tudo nele apontava para essa configuração brilhante, do particular à extrema competência.
 
Seu segundo nome,  Cezar,  vem do Latim, derivado do nome pessoal César, nome dos imperadores romanos, depois de Augusto César. Caracterizado com autoconfiança excepcional, muito disciplinado, esse  onomástico  transmite sucesso e prestígio.
 
O sobrenome Vanni é germânico, significa Terra Verdejante. Sem dúvida, abreviação de Giovanni que significa filho de Deus. Identifica uma alcunha comum na Toscana, terra natal de seus ancestrais.  O Vanni mais antigo da história foi Vanni Fucci, citado no livro Inferno da Divina Comédia, de Dante Alighieri.
 
Nosso companheiro Vanni, sempre generoso, embora cercado de admiradores, de aplausos, jamais deixava de olhar em torno a procurar pessoas capazes, na ânsia de incorporá-los à sua auréola amiga. O maior fascínio foi querer unir à sua história e a tradição aos dois países de sua ancestralidade. Valorizava a cultura brasileira abraçada ao universo italiano em amoroso amplexo,  cujos traços jamais se apagarão em nossas mentes.
 
 
 
Julio Cezar Vanni ao lado da historiadora Franci Machado Darigo,
em palestra no Instituto Histórico e Geográfico de Niterói (2014).
Fotografia: Acervo do Focus.
 
Foi meu confrade no Instituto Histórico e Geográfico de Niterói, inclusive, tive a honra e a graça de ser sucessor de sua Cadeira, patronímica de seu compatriota, o navegador Américo Vespúcio.
 
Julio Cezar Vanni e Alberto Araújo
(Instituto Histórico e Geográfico de Niterói - 2014).
Foto: Acervo do Focus.
 
 
Sempre apreciei a sua brasilidade. Como sabia conjugar os sentimentos, situados entre dois horizontes: o de lá e o de cá.  Além desses atributos, foi um escritor exímio, publicou obras, que se estendem da poesia patriótica a textos historiográficos.
 
Seu estilo possuía  mágicas cintilações reverberadas da Itália ao Brasil.  Sua pena vestiu-se de toques nacionais intercambiadas com a cultura de além-mar. 
 
Julio Cesar Vanni é um desses historiadores de que nos orgulhamos. Além de fincar raízes na história brasileira, deixou fecundos ramos  na topografia da alma da gente. Estou convencido de que Julio Cesar Vanni e sua obra instalaram-se no coração fluminense.
 
Alberto Araújo
editor
 

 

 
 
Julio Cezar Vanni
 
Um escritor distinto, brilhante, prodigioso...
Prático e ídolo do improviso do sertão,
do repente, do repentista...
do fogo da poesia cordelista.
 
No pulsar múltiplo de suas congruências,
ofereceu-nos
a edificação da paz, harmonia e afetividade,
valores adquiridos em suas raízes...
Relator de viagens,
tematizador de vidas,
registrador de histórias...
divulgador do patrimônio cultural universal.
Em seu tempo na terra,
embasou cidadania...
Optou fervorosamente
pelo ângulo intimista
da gene paterna.
Louvou com extrema devoção
a linguagem ítalo-brasileira.
Patenteou sua obra magnífica,
com os anéis literários.
 
Julio Vanni.
Grande mestre da delicadeza!
Apaixonado pelas suas duas pátrias...
 
 
Celebrou o centenário da
imigração italiana em Pequeri.
Solidificou os princípios da civilização
e da moral cristã latina.
Enriqueceu as confabulações genealógicas.
 
Festejou a fecundidade dos italianos:
Dante Alighieri, Giovanni Boccaccio,
Leonardo da Vinci, Michelangelo,
Nicolau Machiavelli, Giacomo Puccini,
Francesco Petrarca...
 
Conclamou a competência dos mineiros:
Adélia Prado, Murilo Mendes,
Carlos Drummond de Andrade,
Bernardo Guimarães,
Affonso Romano de Sant’Anna...
 
Traduziu com lealdade
o ato da peça da fertilidade italiana.
Cantou solidariamente
suas canções em versos...
 
Com sutil efeito,
no solo d’arte desse ítalo-brasileiro,
fica o pedido:
Para todos os seus amigos
dignificar e engalanar com ouro
o talento e o seu riquíssimo legado.
Preconizando-os,
reverenciando-os.
Como ele sempre quis:
brindando-os com vinho e poesia...
 
 
Poesia de Alberto Araújo
dedicada ao historiador Julio Vanni,
publicada no livro
Julio Cezar Vanni:
Filho de Italiano de Lucca - Toscana.
páginas:23/24/25
 
 
 

Julio Cezar Vanni
(Evento no Cenáculo Fluminense de História e Letras).
 

Julio Cezar Vanni
(Pintura em óleo s/tela 60x50 - Monge Cezar Monge)
(Encomenda do Focus Portal Cultural).
 
 
 
 
 
 
UMA HOMENAGEM DO
FOCUS PORTAL CULTURAL
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 COMENTÁRIOS
 
Que linda homenagem, Alberto, você sempre realizando muito bem seu trabalho !!!!

Que bela lembrança, impossível esquecer a figura de Julio Vanni, guardo até hoje de lembrança um pendentif  italiano de porcelana azul  e dourado que ele me deu em um dos nossos encontros no Cenáculo ...  I N E S Q U E C Í V E L ....


Texto  significativo  que você escreveu em homenagem a ele, fotos ótimas, muito bom que você  não deixou passar despercebido e nos enviou esse  material tão abrangente e valioso... Agradeço ter enviado, abraço grande, os melhores votos de saúde a você e esposa, até breve, am.

Ana Maria Brandão
pianista e especialista em compositores clássicos.




******************************

 
 
Confrade, Bela e justa homenagem! Abç, 
PRC.
 
Paulo Roberto Cecchetti
é escritor, poeta e acadêmico .
 
 
******************************


Que ser humano lindo! Humanista mesmo.
Saudade eterna do Vanni.
Belvedere.

Belvedere Bruno
é escritora e jornalista.



******************************


Julio Cezar Vanni era uma pessoa muito educada e de grandes méritos. Quando ia ao Cenáculo era recebida com carinho. Com certeza está bem próximo do MESTRE.
Parabéns por sua homenagem. 
Zeneida.
 
 
Zeneida Apolônio Seixas
é declamadora e membro do Rotary Clube de Niterói.
 
 
 
***************************


Alberto,

Muito lindas as suas palavras dirigidas à memória do nosso inesquecível Júlio Vanni.
Como sempre, o fez com ética beleza e muita dignidade.
Para todo o sempre, nos lembremos dele com carinho e grande afeto.

Matilde.
 
 
 
Matilde Carone Slaibi Conti
É presidente do Cenáculo Fluminense de História e Letras.
 





******************************
 
 
 
 
Olá, Alberto!
Parabéns pela bonita, respeitosa e fraterna homenagem à memória do Presidente Júlio Cezar Vanni.
Aplausos ao seu pertinente trabalho no Focus Cultural!
Abraço da confreira Liane.
 
Liane Arêas
é escritora e acadêmica.
 
 
 
 
******************************
 
 
 
 
 
 
 
 

2 comentários:

Luiz Carlos Lemme disse...

Um historiador é, antes de tudo, um amante da vida humana.
Julio Cezar Vanni, juntava seu amor a humanidade ao domínio das letras, e mais, uma especial habilidade para concatenar o processo histórico com a realidade sócio-cultural brasileira.
Júlio personificou um paradigma para a intelectualidade fluminense além de encarnar um modelo de cidadania e bem viver.
Ergamos nós, amigos, confrades e admiradores, um brinde à sua ilustre memória com o legítimo vinho da Arte e da História!

Matilde disse...

Alberto,

Muito lindas as suas palavras dirigidas à memória do nosso inesquecível Júlio Vanni.
Como sempre, o fez com ética beleza e muita dignidade.
Para todo o sempre, nos lembremos dele com carinho e grande afeto.

Matilde