sábado, 1 de dezembro de 2012

CONVERSA LITERÁRIA NA ACADEMIA NITEROIENSE DE LETRAS COM O PROF. LUIZ ANTONIO BARROS

 
Sede da Academia Niteroiense de Letras
(Bico-de-pena – Miguel Coelho)
Um dos eventos mais importantes da Academia Niteroiense de Letras acontece na última quarta feira de cada mês: é o projeto “Conversa Literária”. Na realidade, um bate-papo legal e descontraído, com escritores, poetas e historiadores. E o objetivo é deixar que o público conheça mais profundamente o entrevistado, um dos membros da Casa, com isso colaborando para que o escritor popularize mais a sua arte literária. Assim sendo, nessa interação, explicitando seu processo criativo, o escritor pode se familiarizar integralmente com seu público; os trabalhos têm a mediação do escritor Gilson Rangel Rolim. E neste dia 28 de novembro, a Niteroiense trouxe uma das personalidades marcantes do mundo cultural fluminense,  escritor e professor Luis Antonio Barros. A renomado professor, com admirável simplicidade e atenciosamente, respondeu todas as perguntas que lhe foram dirigidas.

 
ASSISTA AO VÍDEO COM FRAGMENTOS
DO CONVERSA LITERÁRIA COM O PROF.
LUIZ ANTONIO BARROS
 

 
 
 
Leda Mendes Jorge – Sec. ANL.
Momento em que inicia o evento
(Em substituição a Pres. Márcia Pessanha)

Livro de Luiz Antonio Barros

 
Gilson Rolim recebe Moção Honrosa
Devido ao seu grande desempenho
em apresentar o Conversa Literária
 
Wanderlino T. Netto recebe Moção Honrosa
Devido ao seu grande desempenho
em apresentar o Roda de Leitura
Gilson Rolim - Mediador
momento em que lê o perfil biográfico
de Luiz Antonio Barros
 
 

LUIZ ANTONIO BARROS 
 
Luiz Antonio Barros, para minha alegria meu conterrâneo espiritossantense, nascido em Vitória, é professor. Veio para o  Estado do Rio bem cedo, tendo sua família residido em várias cidades fluminenses, até fixar-se em Niterói. Formou-se Técnico em Contabilidade, carreira para a qual jamais se sentiu vocacionado. Em 1965, ingressou na Faculdade de Direito de Niterói, mas cursou apenas até o 2º ano. Em 1967, ingressou no curso de Letras da UFF, concluindo-o em 1970. Em 1998 fez o curso de especialização em Psicopedagogia na Universidade Cândido Mendes. Começou a lecionar quando ainda cursava o 1º ano de Letras. Ao aposentar-se, como professor do Colégio Militar do Rio de Janeiro, continuou a ministrar aulas no curso Pré-Vestibular desse estabelecimento de ensino até 2011. Lecionou em diversas escolas públicas e privadas, entre as quais o Instituto de Educação Clélia Nanci, em São Gonçalo (RJ), de 1969 a 1996, onde, além de professor, desempenhou a função de coordenador de Língua Portuguesa. Foi professor do Colégio Estadual Henrique Lage (1976-1994), da Escola Estadual Joaquim Távora (1997-1998), do Instituto Gay-Lussac (1978-1985), do Curso Acadêmico (1985-1995) e do SENAC-Niterói (1971-1995). É formado em Teoria  Musical pelo Conservatório Brasileiro de Música (1962). Recebeu no Colégio Militar a medalha Marechal Trompowsky (patrono do magistério do Exército). Em 1986 publicou, com o professor Paulo Roberto Poppe, o livro didático Lendo, pensando e redigindo em língua portuguesa, pela SEGEL, editora do Instituto Gay-Lussac, com prefácio de Angelo Longo. Em 1999, publicou, em parceria, o livro didático Língua portuguesa: instrumento e ação, em dois volumes, destinados ao Ensino Médio, Edição dos Autores (Niterói/RJ). Em 2000, publicou, em parceria, o paradidático Conto de escola (e muitos mais...), contos de Machado de Assis, publicados pela EdG, de Niterói. Em 2008, lançou pela Nitpress (Niterói) o Dicionário de ditados, provérbios, alusões, citações e paródias. Em 2009, colaborou na edição crítica da 2ª. edição do livro Vida apertada, de Luiz Leitão, organizada pelo professor Roberto S. Kahlmeyer-Mertens, pela Nitpress. Em 2010, também pela Nitpress, publicou a antologia Viagem literária através do Estado do Rio, da qual foi organizador, e colaborou na Coletânea de estudos linguísticos e literários Said Ali, igualmente publicada pela Nitpress. Nesse mesmo ano, recebeu as medalhas “Joaquim Nabuco”, conferida pelo Instituto Histórico e Geográfico de Niterói, e a da Associação Fluminense de Belas Artes; Foi também agraciado com o certificado de “Personalidade 2010”, outorgado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Niterói. Eleito em outubro de 2010, ocupa em nossa Casa, a cadeira 44, patronímica de Melchíades Picanço,  É autor do glossário e notas do livro de Na taba Arariboia, organizado por Nelson Tangerini, publicado pela Nitpress em 2011. Organizou, juntamente com Luiz Augusto Erthal, a antologia O amor segundo Luís Antônio Pimentel, publicada pela Nitpress em 2012. A antologia traz glossário e notas de sua autoria. Atualmente, exerce a atividade de revisor de textos. Para o segundo semestre de 2013, está previsto o lançamento do livro de sua autoria intitulado Aprendendo português com a Bíblia. Desta sua bem sucedida carreira profissional e literária, ele nos falará agora, respondendo às perguntas dos presentes. Começo fazendo uma pergunta provocativa:  V. diria que é um intelectual fluminense, embora, como eu, seja conterrâneo do grande Rubem Braga?
 



Carlos Mônaco - Bibliofilo
momento em que faz sua pergunta
(veja vídeo acima)


 
                                Luiz Antonio Barros sorteia seu livro



Alberto Araújo e Luiz Antonio Barros
momento da entrega do livro sorteado
ao editor do FOCUS
 
 
mais fotos assista ao vídeo acima
 
************

 
 
 
Acesse o Blog do Prof.
LUIZ ANTONIO BARROS
CLICAR AQUI
 
 

Um comentário:

Anônimo disse...

Alberto,
parabéns pela divulgação e cumprimentos ao Barros pelas judiciosas e inteligentes respostas.
Abç. Gilson