domingo, 14 de dezembro de 2014

COBERTURA JORNALÍSTICA DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROMPENDO BARREIRAS DO ESCRITOR EDUARDO F. COUTINHO.


(Clicar na imagem para assistir ao vídeo)



Ou clicar no link do Canal You Tube,
para assistir ao vídeo







Eis que é entregue ao público a competente obra ROMPENDO BARREIRAS – Ensaios de literatura brasileira e hispano-americana do escritor e doutor em Literatura Comparada - Eduardo F. Coutinho. O lançamento aconteceu no dia 27 de novembro de 2014, na Livraria Timbre - Shopping da Gávea - Rio de janeiro - RJ - Brasil.
São onze ensaios reflexivos de Literatura Comparada, dentro dos pressupostos dos novos caminhos desta disciplina.   Coutinho, que é  professor titular de Literatura Comparada da UFRJ e pesquisador 1 A do CNPq, retorna ao cenário intelectual com teorias criativas, focalizando construções nacionais e internacionais. Inicia o livro com Cortázar, dialogando com ele e percorrendo as pegadas de O jogo da amarelinha, a expressiva novela do autor argentino.
Eduardo Coutinho mergulha em vários escritores latino-americanos com competência, dissecando aspectos significativos da seara literária. Relê o fantástico em Borges. Aprofunda questões do famoso livro  A expressão americana, de José Lezama Lima.  Estabelece um paralelo entre Machado de Assis e Guimarães Rosa, algo incomum que talvez Coutinho seja o primeiro  estudioso de literatura comparada a perceber.
Para Guimarães Rosa, autor do qual o professor Eduardo F. Coutinho é grande especialista no Brasil e no estrangeiro, ele reservou três capítulos primorosos. Ele insere a produção de Rosa nas Américas, um outro aspecto, em certa medida, inovador. Aprofunda o Grande Sertão: Veredas com a eficácia de conhecedor, pois já defendeu duas teses sobre o autor em universidades norte-americanas. E o que é importante, norteado sempre pelos modernos estudos comparativistas, sem os antigos binarismos.
Além de Guimarães Rosa, o  livro embrenha-se  na escrita lírica de Rubem Braga e de  Vinicius de Moraes.  Analisa também a relação arte/realidade em Fogo Morto,de José Lins do Rego,  expressando-se em todos os textos-ensaios numa linguagem clara, didática,  mas culta.  A obra Rompendo barreiras- Ensaios de literatura brasileira e hispano-americana  traz ao público um novo olhar comparativista com leituras renovadas e moderníssima bibliografia.
Trata-se de um estudo reflexivo, construção imprescindível  de consultas para estudantes e interessados nos estudos não só brasileiros quanto latino-americanos, pelas informações que traz, pelas reflexões que faz,  como também pelas confluências intelectuais e literárias que a obra expõe.
Portanto, caro leitor foculista, convido-o a viajar com Coutinho pelo universo comparatista brasileiro e hispano-americano, rompendo com ele barreiras/fronteiras para, levado por seus questionamentos e asserções, abrir, com a escrita do professor-pesquisador,amplos horizontes  que somente um  autor abalizado como Eduardo F.Coutinho consegue transpor.
O livro encontra-se em todas as livrarias do país.  ROMPENDO BARREIRAS – Ensaios de literatura brasileira e hispano-americana. Lembre-se bem, é este o título do mais recente livro do escritor e doutor em Literatura Comparada, Eduardo F. Coutinho, com 146 páginas, e o selo da Editora 7 Letras. O prefácio é da professora, doutora em Literatura Comparada, Dalma Nascimento.


Alberto Araújo,
jornalista,escritor
e editor do Focus.



“Desbravando territórios da linguagem criadora, Coutinho elegeu expressivos ficcionistas estrangeiros e nacionais – Cortázar, Borges, Lezama Lima, Machado, Rosa, José Lins, Rubem Braga, Vinicius – para montar os onze ensaios desta obra, em que a reflexão do comparatista se alia à objetividade conceitual do professor. Metódico e analítico, foi atravessando terras poéticas, depreendendo as mutações do romance e da crônica, comparando-as como criticamente o faz nas suas aulas e escritos, para apreender o que é característico em cada artífice".

                (Do prefácio de Dalma Nascimento – 4ª capa)


Dalma Nascimento
é doutora em Literatura Comparada e Teoria Literária 
e autora de Antígonas da modernidade (Tempo Brasileiro, 2013); 
Mitos e Utopias (Tempo Brasileiro, 2013); 
Memórias em jornais (Tempo Brasileiro, 2014) 
e, a sair pela Editora da UFRJ, 
Carmina Burana: magia e questionamento cultural.





IMAGENS DO EVENTO

Eduardo Coutinho,
autografando livros para seus leitores.

Beatriz Resende, Dalma Nascimento, Lígia Vassalo,
Ângela Dias, Luíza Lobo, Teresa Cristina Meireles.

Eduardo Coutinho e Maria Lúcia Aragão.


Beatriz Resende, Coutinho, Luíza Lobo, Ângela Dias.


Eduardo F. Coutinho e sua esposa Malu (Maria Lúcia).

Coutinho com os filhos Eduarda (Duda)
e Rodrigo.


Coutinho e Maximiliano Torres


Coutinho e Dalma Nascimento

Maximiliano Torres e Dalma Nascimento

 Tania Zagury
(Mestre em Educação e escritora )

Eleonora Ziller
Diretora da Faculdade de Letras da UFRJ.


Coutinho e o escritor Clécio Quesado.

Coutinho e Dona Sônia (viúva de Afrânio Coutinho)


Coutinho e Eleonora Ziller.

Coutinho, Lígia Vassalo, Eduardo Portella
e Dalma Nascimento.




Malu, Dona Sônia e Coutinho.


Alberto Araújo e Coutinho.

Eduardo F. Coutinho - escritor




Eduardo F. Coutinho é professor de Literatura Comparada da UFRJ, onde exerceu também, de 1990 a 1994, a função de diretor adjunto de Pós-Graduação.

É mestre em Literatura Comparada pela Universidade da Carolina do Norte, Chapel Hill, e doutor em Literatura Comparada pela Universidade da Califórnia, Berkeley. Além de sua atividade docente na UFRJ, tem sido professor visitante em diferentes universidades no Brasil e no exterior.

Foi vice-presidente da Oficina Literária Afrânio Coutinho e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística, e membro do Conselho de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. É membro fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Literatura Comparada, vice-presidente da Associação Internacional de Literatura Comparada, membro do PEN Clube Internacional e consultor científico de diversas agências de fomento à Educação (Capes, CNPq, Faperj, FUJB).

É pesquisador 1 A do CNPq, e sua principal área de pesquisas é a literatura latino-americana contemporânea.

Ao longo de sua carreira, Coutinho tem publicado diversos ensaios e artigos em jornais e periódicos especializados no Brasil e no exterior, além dos seguintes livros:

The process of revitalization of the language & narrative structure in the fiction of João Guimarães Rosa & Julio Cortazar; The “synthesis” novel in Latin America: a study on João Guimarães Rosa’s Grande sertão: veredas; Em busca da terceira margem: ensaios sobre o “Grande sertão: veredas”; Sentido e função da literatura comparada na América Latina; Literatura Comparada na América Latina: ensaios; Literatura comparada en América Latina: ensayos e Afrânio Coutinho.


Organizador de diversas edições, como: Guimarães Rosa. Coleção Fortuna Crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 
A unidade diversa: ensaios sobre a nova literatura hispano-americana; 
José Lins do Rego. Coleção “Fortuna Crítica”, em colaboração com Ângela Bezerra de Castro;Literatura comparada: textos fundadores, em colaboração com Tania Franco Carvalhal; 
Cânones e contextos: 5º Congresso ABRALIC; 
Fronteiras imaginadas: cultura nacional/teoria internacional; 
Elogio da lucidez: a comparacao literaria em ambito universal; 
Empréstimo de ouro: as cartas de Machado de Assis a Mario de Alencar, em colaboração com Teresa Cristina Meireles de Oliveira; 

a série Discontinuities and Displacements, Crossings and Contaminations eIdentities in Process: Proceedings of the XVIII Congress of the International Comparative Literature Association; Discursos de Afranio Coutinho (Rio de Janeiro: ABL, 2011 and O bazar global e o clube dos cavalheiros ingleses. Textos seletos de Homi Bhabha Rio de Janeiro: Rocco, 2011.




APOIO CULTURAL







Nenhum comentário: