quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

COBERTURA DO LANÇAMENTO DO LIVRO A ROUPA NOVA DO ARCO-DA-VELHA DE FLÁVIA SAVARY.


(CLICAR NA IMAGEM PARA ASSISTIR AO VÍDEO)


Clicar no link para assistir ao Canal do You Tube.



FLÁVIA SAVARY  –  40 ANOS DE CARREIRA EM PLENA ATIVIDADE.


A premiada escritora, ilustradora e dramaturga Flávia Savary,  que está completando 40 anos de carreira em plena atividade,   prossegue,  com nova  inspiração,  participando ativamente de projetos  literários. Continua a publicar sempre  livros infantis inspirados, que se vão anexando a tantos outros seus, já editados com sucesso.

Recentemente nos brindou com a obra A roupa nova do arco da velha, com ilustrações do cartunista, chargista e cronista Jaguar.

O lançamento do livro aconteceu no dia 07 de dezembro na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon – Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – Rio de Janeiro – RJ – Brasil. Com grande afluência, Flávia não parava de dar autógrafos. Filas longas sempre diante da sua mesa.   Personalidades do mundo literário e artístico estiveram presentes, dentre tantos: o ator Miguel Falabella, as atrizes também  do núcleo global Ísis Valverde e  Maria Pompeu, o cartunista e chargista Ziraldo, Jaguar (Pai de Flávia), a escritora Olga Savary (mãe de Flávia) e muitos amigos da escritora.


Imagem da capa do livro
A ROUPA NOVA DO ARCO-DA-VELHA
FLÁVIA SAVARY



A edição teve por propósito  misturar ilustrações inéditas,  feitas especialmente para o livro, com outras mais antigas, bem como apresentar um painel da obra de Jaguar – homenagem de sua filha.

A já consagrada ficcionista em histórias infantojuvenis conta que seu início na área literária não foi planejado. Não desejava  ser escritora para não sofrer comparações com seus pais – a poeta Olga Savary e o cartunista Sérgio Jaguaribe, o Jaguar. “Só quem é filho de pais famosos conhece essa história... Mas tem coisas das quais ninguém escapa. E já que gostava demais de escrever cartas e ler, deu no que deu”, diz a autora.

Em A roupa nova do arco-da-velha, Flávia Savary reconta, com muito humor e certa ironia, seis fábulas que literalmente saíram do arco-da-velha. A primeira tem como protagonista o coelho Abelardo, um senhor caloteiro;  a segunda nos convida ao jantar de gala do esnobe rato Bonifácio que leva a pior do primo caipira. Na sequência, surgem as peripécias do cachorro Carlos, do burro Bernardo, do galo Ribamar e, assim por diante. Com 64 páginas e belas ilustrações, o livro garante muita diversão,  mostrando à garotada que, por trás da astúcia, existem  alguns tropeços e muita malandragem. Por sua vez,  alguns comportamentos politicamente incorretos podem nos colocar numa grande confusão.

As seis fábulas, literalmente do “arco-da-velha”, vêm com roupa nova. Dentre elas, sobressaem ainda Rato do campo e rato da cidade, O lobo abusado e o cordeiro malhado e Os  saltimbancos sertanejos. Entretanto, nas frinchas e dobras do relato,  em meio a tanta  astúcia e quiproquós, bem "debaixo dos panos", como diz um slogan  tão decantado, o leitor percebe que certas atitudes politicamente incorretas nos colocam em verdadeira "saia justa". Porém, a autora escreve os temas de maneira bem  dosada, visando a distrair o pequeno leitor  e  a  levá-lo a perceber, de forma lúdica, o mundo circundante.

De fato, a abordagem, bem adequada aos tempos atuais, leva a questionamentos pedagógicos. A escrita de Flávia põe em discussão, nas entrelinhas, situações que auxiliam tanto pais quanto educadores  diante de  critérios entre justo e injusto, certo e errado. Por intermédio do livro A roupa nova do arco da velha, a criançada, ao mergulhar nas histórias de Flávia Savary vai, inconscientemente, fazendo ilações com sua realidade. É, pois, uma obra formativa e informativa. Verdadeiramente  do arco-da-velha.

O ratinho Sig é o elemento articulador das tramas. Figura emblemática do saudoso jornal O Pasquim, foi um símbolo de resistência  nos anos de chumbo da ditadura militar. Criado de uma maneira brincalhona pela verve do cartunista Jaguar,o livro homenageia este ícone da cultura brasileira, pai da autora   por meio de desenhos pinçados de sua longa carreira (desde a década de 50!), além de apresentar  criações inéditas, feitas pelo artista.

Neste livro, pai e filha irmanados pelo afeto e pendor criativo, ofertam seus dons literários e plásticos para o grande público. O Focus Portal Cultural, participante da homenagem através de seu diretor,  sugere A roupa nova do arco-da-velha como um bom presente natalino para  a sensível garotada.




Alberto Araújo
escritor, poeta, jornalista,
editor do Focus.





ALGUMAS IMAGENS DO EVENTO


Livraria da Travessa - Leblon,
local do lançamento do livro da escritora
Flávia Savary.

Banner do livro de Flávia,
exposto na entrada da Livraria da Travessa.

Flávia Savary a anfitriã do evento
 autografa os primeiros livros,
na Livraria da Travessa no Leblon.
O nome do livro do lançamento é:
A roupa nova do arco-da-velha.

Panorâmica dos amigos e leitores
presentes ao evento da escritora Flávia Savary.

A escritora Flávia Savary 
entre seus amigos e leitores.


Flávia Savary e Jaguar posam para os flashes
do FOCUS.

Criança presente ao evento.
Representando a criançada,
ela fez questão do autógrafo da autora.

Nesta outra imagem,
a menina já está com 
o seu livro autografado.

Amigos e leitores de Flávia Savary
posam para os flashes do FOCUS.

O ator global Miguel Falabella,
Flávia e  vários amigos leitores.

O artista global Miguel Falabella,
dramaturgo, cineasta e escritor,
trabalhou em destaque como ator.
Representou o Caco Antibes (Sai de Baixo) 
e o Ruço de (Pé na cova).
Na foto, posa com sua ex-professora
Dalma Nascimento.

A atriz global Maria Pompeu, ex-vedete,
 atuou em mais de 25 filmes. 
(Seu mais recente trabalho
foi a Amélia de Em família - Globo). Posa ao lado
da escritora e ilustradora Flávia Savary.

O compositor de músicas clássicas
Noel Nascimento 
ao lado da escritora e ilustradora Flávia Savary.

A professora Dalma Nascimento 
e a atriz global Maria Pompeu.

A professora Dalma, Flávia 
e sua prima Teresa Portugal.

Dalma e os admiráveis artistas
Leon e Noel Nascimento.

Flávia e outra amiga querida.

A artista plástica Olívia Barradas,
(recentemente expôs seus trabalhos
no Iate Clube Brasileiro) 
e a escritora Flávia Savary.
Ambas posam para os flashes do FOCUS.


Braz Henrique (esposo de Flávia),
empresário e músico,
Leon, Noel e Dalma Nascimento.
(em segundo - Luís Claudio P. Nascimento).


Os acadêmicos e poetas Mozart Carvalho e
Sérgio Gerônimo ao lado da escritora Flávia.

A professora Dalma Nascimento
 e a ilustradora e escritora Flávia Savary.
Posam em grande estilo, para o flash do FOCUS.

Olga Savary, Sérgio Gerônimo, 
Mozart Carvalho e Helena Ferreira.

O cartunista Ziraldo e uma de suas fãs.

Flávia Savary com outra amiga.





O escritor e jornalista Alberto Araújo
e a escritora e ilustradora Flávia Savary.




Flávia Savary  (lê-se savarí).  Escritora, ilustradora e dramaturga, nasceu no Rio de Janeiro. Formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Como ilustradora e artista plástica, participou de várias exposições nacionais e internacionais.

Ganhou cerca de 80 prêmios literários em todos os gêneros no Brasil e no exterior. Participou de várias coletivas com seu trabalho de ilustradora e artista plástica.

Têm poemas, peças teatrais, crônicas e narrativas de ficção voltadas para público infantil, juvenil e adulto, publicados em mais de 40 antologias.

Flávia Savary vem enriquecendo a literatura infantil, desde 1979. Foi nesse ano que ela iniciou sua carreira como escritora e dramaturga  - embora até hoje ela ainda não se reconheça assim.  “Não tenho perfil de intelectual”, ela disse sorrindo. Mas Flávia é, sim, uma escritora marcante. Carioca e formada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, já publicou 21 livros para as crianças  em editoras do Rio, São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba.

Ela também é desenhista e, mais do que isto, plenamente envolvida com os princípios da arte. Por isso, na sua opinião, a literatura precisa humanizar. Afinal, essa é a finalidade de toda expressão artística. “Se não toca, não vibra, não sensibiliza, não é boa literatura. A arte precisa resgatar a condição humana, daí tem que ser bela e criativa”-  explica a escritora.

Não se prende a fórmulas ou outro requisitos: “Eu escrevo para gente e é nisso que acredito”,  - revela  Flávia Savary. A autora também aponta um dado auspicioso: no Brasil, a literatura infantil tem excelente qualidade em todos os setores de produção. “Escritor, ilustrador e editor devem ser parceiros e, quando isso acontece, reflete muito bem na obra”. Por esta sua postura profissional, a escritora é reconhecida no mundo.



CAPA DO DVD 
FOTOGRAFIA - FILMAGEM - EDIÇÃO
ALBERTO ARAÚJO 
FOCUS PORTAL CULTURAL.


APOIO CULTURAL









FONTE









Nenhum comentário: