quinta-feira, 23 de março de 2017

O PROGRAMA JOVENS URBANOS VAI DESENVOLVER AÇÕES EM QUATRO REGIÕES EM 2017. CONFIRA.

 
 
 
 
 
Portifólio Jovem, publicação com a sistematização da experiência, transferência de tecnologia, novos territórios e a formação de educadores, técnicos de secretarias e de 760 jovens. Saiba o que o Programa Jovens Urbanos pretende desenvolver em 2017.
 
Rio de Janeiro (RJ)
 

No terceiro e último ano de ação na cidade do Rio de Janeiro, o Jovens Urbanos vai trabalhar na transferência de sua tecnologia para o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds), como multiplicador.
 
Sendo assim, o foco passa a ser o fortalecimento das capacidades institucionais para tornar possível a disseminação do Programa de forma autônoma. Para isso será realizada a articulação institucional de parceiros no Rio de Janeiro, a constituição de uma equipe de profissionais e o fortalecimento de estratégias de gestão e formação com profissionais de escolas públicas, coletivos jovens e demais organizações sociais que trabalham com juventude. O intuito, dessa forma, é garantir maior autonomia do Cieds em relação às instituições locais.
 
 
 
 
 
 
São Paulo (SP)
 

 A capital paulista vai contar com mais um território de ação, além do distrito de Cidade Tiradentes. Em 2017, o Programa Jovens Urbanos também inicia suas atividades em São Miguel Paulista. Para isso, ele vai envolver duas organizações cogestoras em cada território, que vão articular, mobilizar, monitorar e realizar ações com cerca de 240 jovens.
Outra novidade é o Portfólio Jovem, ambiente virtual que reunirá a produção individual feita pelos jovens participantes para que reflitam sobre seu percurso de vida, suas escolhas e sua trajetória escolar e profissional.
 
Minas Gerais
 

 Em Minas Gerais, o Programa Jovens Urbanos busca disseminar as metodologias no trabalho com a educação integral e o Ensino Médio para a Secretaria de Educação.
 
Entre as ações previstas estão a formação de cerca de 200 profissionais, incluindo diretores, professores e a equipe técnica da Secretaria, que vai multiplicar a metodologia do Programa.
 
A constituição de Planos Participativos será outro destaque das ações do Programa em Minas Gerais. No segundo semestre, 12 Planos serão realizados pelos profissionais que estão na formação, abrindo espaços de escuta com os jovens, mediando e sistematizando suas proposições para a gestão escolar.
 
Também está prevista a publicação do livro Itinerário Juventudes, educação integral e Ensino Médio: nova cultura em gestão escolar para Ensino Médio. Dividido em duas partes, ele vai conter a sistematização da experiência do Jovens Urbanos no estado.
 
Neste ano, as ações do Jovens Urbanos serão desenvolvidas em dois territórios – Realengo e Vila Kennedy e, além do Cieds, contará com a parceria local de duas instituições executoras e com escolas estaduais, envolvendo 120 jovens, 60 em cada território.
Vale do Paraíba (SP)

O ano de 2017 será o quinto e último ano de ações do Jovens Urbanos no Vale do Paraíba (SP) e, dessa forma, vai realizar a sua última etapa de transferência de tecnologia para o Grupo de Assessoria e Mobilização de Talentos (GAMT), organização que atua há cerca de 40 anos na região.
 
Neste ano,  Programa passa a contar com o apoio do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Condeca) e busca articular o Centro com as políticas municipais para juventude nos municípios paulistas de São José do Campos, Jacareí, Santa Branca e Caçapava, envolvendo cinco territórios e 400 jovens.
 
 
Centro Cultural Arte
 em Construção,
sede do Instituto Pombas Urbanas,
parceiro do Programa Jovens Urbanos.
 
 
 
 
LEIA MAIS:
 
 

O Programa

Criado em 2004, o Programa Jovens Urbanos busca promover, na perspectiva da educação integral, a ampliação do repertório sociocultural de jovens que vivem em territórios urbanos vulneráveis.

O Programa desenvolve, implementa e dissemina tecnologias de trabalho com a juventude por meio de processos de formação ampliada, geração de oportunidade e inserção produtiva, além de contribuir para que esses jovens concluam o Ensino Médio e tenham acesso ao Ensino Superior.

Reconhecer que o desenvolvimento dos jovens passa pela diversidade e complexidade de suas demandas – e também por seus potenciais – faz o Jovens Urbanos atuar em rede, envolvendo poder público, iniciativa privada, organizações locais, população e entidades de reconhecida expertise social e técnica, que passam a agir em conjunto, buscando a transversalidade e a articulação das políticas públicas nas ações para a juventude no território de atuação. Além disso, busca a sustentabilidade dessas ações ao investir na formação dos participantes da rede e empoderando atores locais para a continuidade das propostas.

As estratégias propostas pelo Programa – na perspectiva da educação integral – buscam expandir o repertório sociocultural dos jovens. Além disso, tem o objetivo de promover impactos por meio de ações que lidam com as demandas e os anseios juvenis, apoiando e estimulando as elaborações dos projetos de vida desses jovens; realizar atividades eletivas e de acolhimento de suas produções artísticas e culturais; trabalhar com estímulos à permanência, à continuidade ou ao retorno à educação básica; promover ações de letramento, tomadas em sentido amplo, como forma de expressão e abrangendo as mídias digitais; estimular a ampliação da circulação, do acesso e do usufruto de equipamentos e bens culturais da cidade; e ampliar o repertório de competências e habilidades para a vida pública, o exercício do controle social e o mundo do trabalho.

O Jovens Urbanos já realizou ações nas cidades de Caçapava (SP), Pouso Alegre (MG), Praia Grande (SP), Rio de Janeiro (RJ), Santos (SP), São Paulo (SP) e Serra (ES). Cada uma das experiências trouxe especificidades ao Programa, que foram transformadas em aprendizagens, contribuindo para o aprimoramento constante da proposta. Desde o ano passado, o Programa realiza uma assessoria ao Governo do Estado de Minas Gerais para a construção de uma proposta de educação integral para o Ensino Médio.


Saiba mais sobre os Marcos Conceituais do Programa Jovens Urbanos,
clique aqui.


Repercussão nacional e internacional

Durante sua trajetória, o Programa Jovens Urbanos  tem sido reconhecido como uma importante tecnologia social de educação Em 2014, o Programa recebeu 
menção honrosa no Prêmio Betinho e, pela segunda vez, foi selecionado pelo Ministério da Educação (MEC) para compor o seu Guia de Tecnologias Educacionais.
Em junho de 2015, o Programa Jovens Urbanos foi uma das iniciativas destacadas na Assembleia Geral das Nações Unidas durante o evento Dividendo demográfico e emprego de jovens (em inglês, High-Level Event on the Demographic Dividend and Youth Employment), com a colaboração do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Nova York.

Em dezembro do mesmo ano, o Programa foi uma das 178 iniciativas educacionais de instituições brasileiras, entre organizações não governamentais, escolas públicas e particulares, reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) como exemplos de inovação e criatividade na educação básica. 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 

Nenhum comentário: